Dicas de Linguagem Corporal para ter mais Compreensão

Você quer compreender os gestos, a postura, as expressões faciais, enfim a linguagem corporal para ter mais compreensão de si mesmo e dos outros?

A linguagem corporal é uma forma de comunicação não verbal. É uma forma de o corpo falar, e vem sendo utilizada há milhões de anos. Os primeiros estudos científicos foram feitos por Charles Darwin. E Pierre Weil fez um excelente resumo no livro “O Corpo Fala”.

A linguagem corporal vem sendo estudada há muito tempo e, de acordo com a opinião de profissionais em psicologia e sociologia, detecta diferentes sentimentos e expressões que não se comunicam com palavras, mas sim com o comportamento físico.

O que é linguagem corporal

A linguagem corporal constitui o conjunto de todas as expressões e comportamentos do corpo. Ela agrupa as mensagens que você transmite além daquilo que é dito em palavras, ou mesmo substituindo o uso de palavras. Diversificados contextos e situações fazem com que os nossos sentidos se manifestem de maneiras peculiares. É interessante que, quase sempre, não nos damos conta desse comportamento gestual, o qual pode revelar muito sobre os nossos sentimentos e nossa personalidade.

A atenção à linguagem corporal no processo de Coaching e Mentoring ajuda muito na interpretação dos sinais enviados para além da linguagem oral, se considerarmos que a comunicação não verbal representa de 60% a 75% de nossa comunicação interpessoal. Desenvolver esta habilidade de observação e interpretação ajuda muito aos coaches, mentores e outras atividades profissionais tais como professores, psicólogos, líderes organizacionais.

Saber interpretar a linguagem corporal das outras pessoas nos propicia um desdobramento do que a pessoa quer nos dizer e torna mais próximos os nossos relacionamentos. Para aprender a interpretar a linguagem corporal, o primeiro passo é conhecer, o segundo é observar e o terceiro é fazer o desdobramento.

Dicas para percepção e interpretação da linguagem corporal

No texto a seguir vamos dar algumas dicas que facilitem a percepção e a interpretação da linguagem corporal:

Dica 1

Dentro da linguagem corporal existem dois tipos de postura: a aberta e a fechada. Na primeira, não há barreiras entre um interlocutor e outro — o que é o mais indicado para a maior parte das atividades cotidianas que exigem contato. Por outro lado, na postura fechada, há a intenção de proteger e isolar o corpo. Cruzar os braços e as pernas demonstra essa intenção e indicam a resistência, o medo ou a falta de conforto em relação ao tema tratado ou à pessoa com quem interage.

Dica 2

A postura dos braços, pernas, cabeça e expressão facial podem transmitir vários sentimentos. Por exemplo: se uma pessoa não mantém contato visual enquanto outra pessoa está falando com ela, isso pode querer dizer que ela não está interessada na conversa ou na pessoa ou quer fugir do assunto. Por outro lado, quando uma pessoa está com os braços cruzados, essa postura pode ser considerada defensiva, revelando insegurança. A distância entre o locutor e o interlocutor também pode indicar tensão entre os dois.

Dica 3

Ficar frente a frente com seu interlocutor pode transmitir a idéia de competição, disputa. Lado a lado pode ser a melhor forma de cooperar e demonstrar cuidado. Ângulo reto é comum em conversas amistosas e também quando há interesse no assunto abordado.

O distanciamento e a proximidade falam bastante: O toque e a proximidade física demonstram amor, carinho e afeto.

Duas pessoas em uma relação de intimidade exigem menos espaço pessoal do que dois estranhos. Se você se inclina demais na direção da outra pessoa, você vai terminar invadindo seu espaço pessoal.

Isso não deve ser feito quando ainda não existe muita confiança, pois você pode parecer agressivo demais. É importante notar que o espaço pessoal é culturalmente fluido, portanto, tenha sempre em mente que o que é considerado próximo em um país pode ser considerado distante em outro.

Dica 4

Sobrancelhas em forma de V, olhos arregalados e a boca aberta ou com os cantos dos lábios abaixados podem indicar que a pessoa se sente ameaçada ou fechamento por preocupação interior. Sobrancelhas levantadas podem indicar surpresa, preocupação e medo.

Dica 5

Braços firmemente cruzados são um sinal comum de irritação e rejeição.

Dica 6

Quando estão ansiosas, as pessoas piscam mais, apresentam um aumento nos movimentos faciais e esticam os lábios, formando uma linha fina. Outra forma de demonstrar ansiedade é quando batemos o pé ou mexemos as pernas sem parar, inconscientemente.

Dica 7

Normalmente, quando alguém olha para cima e para a direita durante uma conversa, pode significar que a pessoa está entediada e já não se interessa mais pelo que está sendo dito. Olhar intensamente nos olhos de alguém sugere que temos bastante consciência da mensagem que desejamos passar.

Dica 8

Cruzar os braços ou pernas são um sinal comum de que a pessoa está irritada ou rejeita a situação pela qual está passando. Braços e pernas cruzados são barreiras físicas que sugerem que a outra pessoa não está aberta ao que está dizendo. Mesmo que eles estejam sorrindo e se envolvendo em uma conversa agradável, sua linguagem corporal demonstra outra coisa. Braços e pernas firmemente cruzados costumam indicar resistência e pouca receptividade. Geralmente, quando adotamos essa postura, sinalizamos que estamos mentalmente, emocionalmente e fisicamente fechados para os outros.

Dica 9

Postura das pernas: Cruzadas standard: atitude defensiva. Cruzadas em 4 (“tipo índio americano”): concorrência, discussão. Cruzadas estando em pé: desconforto, tensão. Cruzar os calcanhares: dissimular uma atitude negativa. Manter as costas retas e os ombros para trás, em vez de curvados para a frente, transmite mais confiança. Já uma postura curvada transmite insegurança ou maior atenção ao interlocutor.

Dica 10

Morder e mastigar os lábios geralmente indica medo e ansiedade. Isso pode significar que a pessoa está desconfortável na situação, preocupada ou insegura em relação a alguma coisa.

Dica 11

Espelhar a linguagem corporal: é um bom sinal quando alguém copia a linguagem corporal de outra pessoa. Quando você cruza suas pernas, a outra pessoa faz o mesmo. Ou talvez inclina a cabeça do mesmo jeito que você enquanto fala. É algo que fazemos inconscientemente quando sentimos um vínculo com a outra pessoa. É um sinal de que a conversa está indo bem e que a outra parte é receptiva à sua mensagem.

Dica 12

Postura da cabeça: Movimentos de lado a lado: negação. Movimentos para cima e para baixo: consentimento. Para cima: neutral ou examinador. Inclinada lateralmente: interesse. Inclinada para baixo: desaprovação, atitude negativa. Balançar muito a cabeça sinaliza ansiedade para ter aprovação.

Dica 13

Estalar os dedos: Esse gesto está associado aos sentimentos de agressividade, impaciência, ansiedade e frustração.

Dica 14

Manter o corpo rígido, colocar as mãos na cintura ou se aproximar demais do ouvinte, comumente indica agressividade. Portanto, quando adotar esses comportamentos, procure esfriar a cabeça antes de continuar a conversa.

O corpo fala!

Interpretar a linguagem corporal é uma tarefa complexa e sutil. O comportamento não verbal é complexo porque cada um de nós é diferente e nos apresentamos ao mundo de formas variadas.

Quando interpretamos a linguagem corporal de alguém, devemos considerar a personalidade e o comportamento verbal desse indivíduo, os fatores sociais e o ambiente que o cerca.

Importante entender que não existe uma ‘receita universal’ para aprendermos a ler os sinais de alguém corretamente. Você precisará ‘estudar’ a pessoa por algum tempo para conseguir interpretar os sinais dela, já que o que vale para uma pessoa pode não valer para outra.

Muitas vezes as palavras não expressam exatamente o que estamos sentindo, seja porque não conseguimos definir nossos sentimentos, ou porque queremos esconder algo, já que é muito mais fácil controlar o que falamos do que controlar o nosso corpo.

Quando na postura prestadia, precisamos estar atentos a nossa própria postura e linguagem corporal. Às vezes um gesto cala mais fundo em nosso cliente do que muitas palavras. Mas é preciso estar consciente disso.

Nossa atividade prestadia em benefício da Vida e das pessoas pede de nós um cultivo crescente de nossa percepção da linguagem corporal. Tanto da nossa postura corporal e de nossos gestos, de sua força na comunicação de alma com alma, como desenvolver a percepção ao gestual e à apresentação, ao porte e à gesticulação de nosso cliente.

Ler os pensamentos e sentimentos de uma pessoa é tarefa quase impossível, mas ler a linguagem corporal, isso sim, é não somente possível, como necessária em nosso dia a dia de contato com nosso próximo. E isso é possível através de atenção plena e de treinamento contínuo.