3 técnicas de relaxamento para diminuir a ansiedade

A rápida evolução e disseminação tecnológica nos trouxe uma grande ilusão: vamos ter mais tempo para aproveitarmos a vida. Mas isso elimina a ansiedade que sentimos?

Criamos grandes invenções que diminuíram distâncias (automóvel, avião, motocicletas, Internet), agora temos maquininhas de todo tipo: liquidificador, micro-ondas, máquina de lavar louça e roupa, aspirador e por aí vai.

Elas nos poupam de fazer força e agilizam nossa vida. Além disso, temos de tudo no supermercado e no shopping, sem ter que correr de um lado para o outro. Maravilha, não é?

Então, por que andamos ainda mais cansados, com falta de tempo, numa correria louca? A resposta está na ansiedade.

técnicas para diminuir ansiedade

Realmente, vivemos uma era de imensa e torturante ansiedade pelo que pode acontecer. Minha saúde vai aguentar? Que será de meus filhos? Que acontecerá com o Brasil depois das eleições? E o salário, aguenta até o fim do mês?

De onde vem esta ansiedade que cresce a cada dia? Por que tomamos tantos remédios para nos acalmar? É o que veremos neste artigo. Confira!

A ansiedade está na mente

Existem, sim, algumas formas de atenuar e até mesmo superar esta ansiedade.

Mas antes de mais nada, é preciso tomar consciência de que a ansiedade não está nas coisas ao nosso redor, nos problemas que estão por aí, nas outras pessoas.

A ansiedade está em nós mesmos. Acontece dentro de nossas mentes. É muito mais a forma como olhamos para as coisas que estão acontecendo no mundo, no Brasil, em nossas cidades, dentro de nossa casa, em nossos negócios.

A ansiedade é o drama emocional que permitimos que aconteça em nossa mente, quando olhamos ou pensamos em pessoas, fatos e coisas que acontecem fora de nós mesmos.

Se essa aflição que temos está em nosso interior, nas nossas mentes, então deve haver um jeito de superá-la, sem depender tanto de algum medicamento.

O Mentoring e o Coaching apresentam ferramentas para sanar esse tipo de conflito.

Mas vou indicar agora 3 técnicas de relaxamento que permitem diminuir a ansiedade. Só fazem bem, não há contraindicação.

A respiração

Nós respiramos desde o primeiro minuto após nascer e a respiração é o maior indicativo de que estamos vivos.

Vamos tomar consciência da respiração, seguindo estes passos:

  1. Inspire lenta e profundamente até sentir os pulmões cheios.
  2. Segure o ar com os pulmões cheios contando até três.
  3. Agora solte devagar o ar pela boca.

Faça esta sequência de inspirar-segurar-expirar por 3 vezes, bem devagar.

A percepção de si

Agora, vamos tomar consciência de que existimos:

  1. Enquanto inspira, vá contando devagar até 9 e sinta o ar entrando por suas narinas, passando por seu pescoço. Sinta sua temperatura, perceba os músculos de seu tórax se expandindo. Concentre-se em perceber seu corpo inteiro no ato de inspirar. Ponha toda a sua atenção em seu corpo e perceba como ele se sente quando você inspira o ar. Sinta a qualidade do ar, os cheiros que vêm com ele, sua temperatura fria ou quente.
  2. Enquanto segura o ar, conte até 3, devagar. Imagine o sangue percorrendo seus pulmões e captando o oxigênio do ar para levá-lo para mais de 200 bilhões de células por todo seu corpo, milímetro por milímetro. E imagine seu sangue recolhendo o lixo de suas bilhões de células, proveniente da digestão de seus nutrientes, e do gás carbônico resultante da queima que lhe garante manter a temperatura do corpo.
  3. Depois vá soltando todo o ar de seus pulmões, outra vez com a atenção nos movimentos de seu corpo, percebendo a temperatura do ar que sai, a sensação de alívio e de paz que acompanha.

Que coisa fantástica que é a respiração! E isto acontece em você desde que nasceu, minuto a minuto! É ela que nos mantém vivos e quentes!

A meditação, um exemplo de como meditar

Diminuir-Ansiedade

Meditar é voltar a atenção para dentro de si. Se você seguiu as etapas anteriores, você já começou a meditar, pois olhou para dentro de si. Olhou para seu próprio corpo e sua dinâmica respiratória. É um bom começo.

Você pode expandir este olhar pelo seu corpo, até senti-lo todo pulsante, cheio de vida, trocando energia por todos os seus órgãos internos e seus instrumentos físicos de contato com o mundo externo:

  • Seus olhos, percebendo as cores e formas e movimentos à sua volta;
  • Seus ouvidos, que captam todos os sons, sejam ruídos ou música, como o canto dos passarinhos;
  • Seu tato, captando a temperatura que chega até você, frio ou quente, a aspereza ou a maciez dos objetos;
  • Seu olfato, sentindo os odores agradáveis e desagradáveis, os perfumes;
  • O paladar, que indica o gosto e a atração dos alimentos.

Nosso corpo é um conjunto maravilhoso, onde tudo está integrado, conectado e perceptível por nosso cérebro e nossa mente. E nós é que determinamos se é agradável ou não, se é bonito ou feio, damos nomes e atributos a tudo isso.

As coisas são o que são, são como são. Nossa mente é que as qualifica e dá atribuições positivas ou negativas.

Aí está um excelente e muito simples exercício de meditação: depois de relaxado pela respiração consciente, tente sentir tudo a sua volta sem lhe dar atribuição alguma. O autoconhecimento passa justamente por essa percepção.

Tente somente sentir, somente tomar consciência de como seu corpo percebe as coisas. Limpe de sua mente qualquer avaliação ou julgamento ou característica. Somente olhe, escute, perceba, sinta. E tome consciência do fantástico mundo que o envolve.

Termine com um ato interior de gratidão pela vida que está acontecendo em você e no mundo aqui e agora. E sinta-se bem, pronto para enfrentar o mundo como ele é, o futuro como ele será – nem bom nem ruim, nem certo nem errado.

Assuma sua vida e tudo o que acontecerá, com tranquilidade interior e paz de espírito frente ao mundo como ele é. Assim, você comanda sua tranquilidade e paz interior, sem ansiedade, e ruma para a felicidade.

Você tem outras formas de combater sua ansiedade? Compartilhe conosco nos comentários!

Marcos Wunderlich