Quando o Mentoring é mais Indicado

Para entendermos melhor esta questão de quando o Mentoring é mais indicado, vamos inicialmente tecer algumas considerações.

O Mentoring, ou Mentoria, é uma atividade antiquíssima. Praticamente em todas as culturas e em todos os povos havia sempre uma figura especial que era consultada pelos demais membros da comunidade sobre que rumos dar a determinada questão ou problema ou então, por se destacar por determinadas competências, era visto pela comunidade como um educador. Diversos termos foram ou são usados como indicativos de tais funções: preceptor, tutor, educador, pajé, xamã, feiticeiro, lama, mestre, guru, sufi, conselheiro e outros mais.

O termo mentor remonta à antiga Grécia, à Odisseia, onde Telêmaco, filho de Ulisses, teve um conselheiro chamado Mentor, que o preparava para ser o futuro rei. O rei Felipe II, da Macedônia, contratou o jovem filósofo Aristóteles como mentor do filho Alexandre, o grande general, que plantou numerosos centros culturais helenísticos, tais como a famosa Biblioteca de Alexandria, no Egito, e diversas outras na Ásia Menor e até no Afeganistão.

Este é o sentido original deste termo. Mentor é uma pessoa vista como mais sábia e experiente, que prepara alguém para assumir um compromisso, uma missão, frente a uma organização ou frente à vida. É alguém que estimula, inspira, orienta ideias e ações com visão ampliada.

Foi este o sentido assumido por empresários nos Estados Unidos, quando passaram a usar o termo mentor, nas escolas americanas e no meio corporativo, para alguém que prepara pessoas para assumir novas tarefas ou galgar níveis hierárquicos nas empresas.

O Mentoring e o Coaching

O Mentoring e o Coaching rapidamente se tornaram as metodologias pedagógicas mais utilizadas para formação extracurricular de líderes nos Estados Unidos e, dali, para o mundo.

Foi esta acepção com a qual o Mentoring chegou mais recentemente ao Brasil. É visto como uma ferramenta de desenvolvimento profissional e consiste em uma pessoa experiente ajudar outra menos experiente a melhor se preparar para sua futura missão.

As escolas de formação de Coaching vêm assumindo, progressivamente, também a formação de Mentoring. O Coaching é visto como uma atividade pedagógica em que se instrumentam os alunos (Coachees) a evoluírem em alguma área de sua vida. Ele instrumenta, principalmente, à definição de objetivos e metas e ao planejamento das ações necessárias para seu atingimento.

O Coaching, pois, é indicado especialmente para o crescimento profissional do Coachee em sua área de especialidade, dando-lhe ferramentas para ampliar suas competências.

No Mentoring, por sua vez, o foco é o Mentorado, envolvendo objetivos mais amplos, direcionado ao crescimento pessoal e, principalmente, profissional. O Mentor é uma pessoa especializada e experiente na área de atuação junto ao Mentorado, a quem prepara para assumir desafios maiores.

Quando é mais indicado o Mentoring

O Mentoring é muito indicado para preparar jovens a assumir uma carreira e nela progredir sob orientação de um profissional experiente na área. Ou então é utilizado para preparar sucessor no comando de um setor ou da própria empresa.

Mais raramente, o Mentoring é utilizado para preparar a pessoa para a vida, com visão mais ampla, com sentido de vida.

O Mentoring é essencialmente voltado para o desenvolvimento global do ser humano, em todas as suas dimensões. É importante, para isso, que o Mentor tenha uma visão ampliada da realidade, conduzindo o Mentoring para uma maior abertura mental do Mentorado, promovendo nele um olhar mais criativo e solucionador, mesmo em áreas ou processos corporativos, mas sempre com ênfase maior no benefício humano que se busca em seus resultados.

O Mentoring, então, é indicado quando a intenção é preparar pessoas a olhar a vida e o mundo com um sentido mais profundo, nas diferentes expressões ou campos vivenciais.

O Mentoring é mais indicado, pois, quando se pretende:

  • ativar potencialidades ainda latentes em seu Mentorado;
  • abrir e ativar o campo mental, numa proposta de permanente ampliação de visão de mundo e conhecimentos coerentes com a vida;
  • impulsionar o Mentorado a se desenvolver como pessoa que se auto conduz de forma centrada;
  • desafiá-lo a ampliar sua capacidade de liderança e integração grupal;
  • levá-lo a assumir sua responsabilidade como cidadão frente ao complexo campo social;
  • desenvolver o senso de corresponsabilidade e sustentabilidade em relação ao meio ambiente e planetário;
  • propor exercícios para sentir-se parte contida no todo da energia espiritual que ativa tudo e todos no universo.

Um processo de Mentoring é indicado menos para adquirir mais conhecimentos, mas sobretudo a levar o Mentorado a aprender a aprender, isto é, a como e onde buscar novos conhecimentos, o que significa que, mais que ensinar a pensar, se busca aprender a como pensar, a ampliar a sensibilidade e a consciência quanto a viver e conviver.

O Mentoring, pois, é indicado principalmente a quem quer fazer de sua vida uma pessoa que se põe a serviço da vida e das pessoas.