Lições de Vida a partir da Antroposofia

No começo do século XX, por volta de 1912, Rudolf Steiner dava origem a sistematização da cosmovisão antroposófica na Alemanha. Steiner buscava um entendimento da espiritualidade humana com bases filosóficas e científicas. Ele organizou então diversos estudos e pesquisas e fundou a filosofia que viria a ser conhecida como Antroposofia.

Mas, o que Antroposofia pode agregar atualmente na vida de quem está buscando por desenvolvimento pessoal? Enquanto cosmovisão, a Antroposofia reúne uma série de interpretações para fenômenos fisiológicos, psicológicos, culturais e naturais. Geralmente, quem tem afinidade com esta cosmovisão a leva para interpretar de maneira coerente tudo o que acontece consigo e ao seu redor. No entanto, mesmo quem não segue a risca todos os preceitos da Antroposofia pode refletir sobre dois aspectos sistematizados por ela, são eles:

Os ciclos são parte da Vida

Steiner observou durante suas pesquisas que o desenvolvimento humano poderia ser organizado em ciclos e que estes ciclos estariam conectados com comportamentos específicos vivenciados em cada faixa etária.

Ao organizar a chamada Teoria de Setênios, ele conseguiu explicar como os ciclos podem ajudar a traduzir os principais anseios e angústias de cada fase. Trazendo essas informações à tona, ficou mais fácil trabalhar alguns comportamentos e questionamentos típicos de cada período que recebe o nome de setênio porque abarca o intervalo de sete anos.

De acordo com a Teoria dos Setênios, a criança logo na primeira infância aprende as bases que irá rememorar nos ciclos seguintes. Por isso, educá-la com autonomia e liberdade ajuda a construir uma visão positiva do mundo e de si própria. Isso constrói um sentido para sua existência e a torna mais capaz de conduzir sua vida com Felicidade.

As famosas crises dos 30 e dos 40 também estão previstas, são momentos de choque entre necessidades diferentes, no começo da idade adulta o indivíduo está mais suscetível a questionar sua existência, depois desta fase, passando os 40, ele volta a questionar sua autenticidade e seu legado para o mundo.

A saúde é uma experiência da relação com a natureza

Steiner também foi convidado a reinterpretar juntamente com um grupo de agricultores em 1925 os processos da agricultura e a relação com o alimento, com isso, organizou as bases da agricultura biodinâmica. A agricultura biodinâmica prioriza o manejo sustentável, distante de químicos tóxicos para a natureza e para o agricultor e introduz algumas técnicas ancestrais que levavam em consideração o horário da colheita, a fase da lua, por exemplo, conhecimentos sobre os ciclos que também podem ser observados na natureza.

A Antroposofia também estendeu sua cosmovisão para a pedagogia e para a farmacologia. Em ambas, a relação com a natureza é primordial para o desenvolvimento saudável do indivíduo.

Nas escolas Waldorf, as crianças estão em contato constante com o ambiente natural, desenvolvendo atividades ao ar livre e exercendo o livre movimento. A forma de ensinar também leva em consideração as necessidades de cada ciclo do desenvolvimento da criança, pela Teoria dos Setênios, nos primeiros sete anos devem prevalecer a liberdade da descobertas do corpo, dos movimentos, da expressão das emoções seguidas de perto, mas sem invadir, pela figura do professor que acompanha o grupo por todo o ciclo.

A escola também atua no ciclo seguinte, proporcionando à criança as bases para construção de sua autonomia para pensar, agir e sentir.

Na farmacologia, produtos fitoterápicos e homeopáticos fazem parte do hall de medicamentos destinados ao tratamento de doenças psicossomáticas e crônicas. Geralmente são indicados por médicos que trabalham com a Antroposofia na relação com o paciente.

A cosmovisão da Antroposofia

A Antroposofia tem uma cosmovisão que interpreta diversos fenômenos da Vida e sua contribuição para o desenvolvimento pessoal é inegável. A Teoria dos Setênios é amplamente difundida e tem se provado perspicaz desde que foi sistematizada no começo do século XX.

Os ciclos implementam algo novo no desenvolvimento pessoal, a ideia do aprimoramento contínuo. Uma habilidade adquirida estará sempre à prova em cada ciclo, voltar a um hábito antigo nocivo pode acontecer, porque em cada fase o indivíduo é confrontado novamente com questionamentos e precisa demonstrar que aprendeu a lição.

A liberdade de se desenvolver e de conseguir desfrutar da transformação também está presente na Antroposofia. Tudo começa e tem um fim, cabe a pessoa com autonomia decidir a melhor maneira de encarar os desafios de cada ciclo.

Se você está iniciando sua jornada de autoconhecimento, busque entender mais sobre sua fase atual. Quantos anos você tem? Quais são os questionamentos mais comuns do ciclo que você está vivendo? De que forma você está respondendo a eles? Você está satisfeito com o modo como reage aos desafios que a Vida apresenta? Tenha em mente que as respostas a essas e a outras questões podem ser obtidas através de técnicas que despertam e ampliam sua percepção em prol do seu propósito de Vida.