Retenção de talentos: como o Coaching e o Mentoring podem ajudar?

São pessoas que geram mudanças, riqueza e valor para sua empresa. O Coaching e o Mentoring podem transformar seus gestores em líderes coaches e sua empresa estará investindo em seu capital humano e na retenção de talentos.

Estamos na era da incerteza, onde o mercado é cada vez mais competitivo e concorrente. É importante entendermos a importância de reter os talentos, isto é, os colaboradores mais competentes, inteligentes, criativos e comprometidos na organização. Hoje existe uma grande rotatividade de funcionários por causa da desmotivação, insatisfação e falta de reconhecimento de seus talentos.

Neste artigo vamos desenvolver como o Coaching e o Mentoring podem ajudar no desenvolvimento e retenção dos talentos de sua empresa. Walt Disney já dizia: “Você pode sonhar, projetar, criar e construir o lugar mais maravilhoso do mundo, mas é preciso pessoas para tornar o sonho realidade“.

As pessoas que detém o conhecimento são o capital intelectual da organização e seu ativo mais importante. O segredo da retenção dos talentos está em investir no crescimento e desenvolvimento das pessoas. Isto é o que garante o sucesso e o futuro da organização.

O que é o talento nas organizações?

Talento é o elemento humano.

Nas organizações são as pessoas que pensam, avaliam, decidem, sentem e agem. São elas que fazem a organização acontecer. É o recurso mais importante da organização. É o responsável pelo sucesso ou pelo insucesso de uma organização.

Imagine sua empresa sem as pessoas. Ela não tem vida. As pessoas chegam e sua empresa adquire movimento.

retenção de talentos

Não adianta ter máquinas, equipamentos, recursos, processos, se não tiver as pessoas que façam as coisas acontecerem, que as ponham em movimento. São as pessoas que trazem existência, promovem vida à organização.

São as pessoas que com seus talentos realizam as conquistas das organizações. As pessoas possuem o talento e o conhecimento que as organizações precisam para crescer e ter sucesso.

Talento e Campo Potencial

Tem se tornado comum falar em capital intelectual nas empresas. E normalmente se entende por capital intelectual as competências ligadas a conhecimento racional, a cursos e formações especializadas de alguns de seus funcionários. É preciso, sim, reter as pessoas inteligentes, com bom preparo intelectual.

Mas, se a neurociência e a sabedoria milenar nos apontam que nossa mente, que é o que comanda nossos comportamentos, não é só racionalidade, mas também é emoção e competência operacional, e que isto todos têm, em qualquer organização humana, como ficamos?

Por exemplo, o comprometimento com os objetivos da organização não depende de títulos, nem de níveis de escolaridade ou diplomas profissionais. Está muito mais ligado a gostar de, a dedicar-se, a sentir-se ligado a pessoas e ao clima organizacional.

E uma pessoa pode ter os conhecimentos e querer fazer, mas se não puser a mão na massa, se não fizer acontecer, “a coisa” não caminha, nada acontece.

Nós, seres humanos, todos os seres humanos, temos potencialidades infinitas, mas elas encontram caminhos únicos, próprios de cada pessoa. Aqui entram os trabalhos de Coaching e Mentoring, que vão levar o cliente à consciência de seu potencial e de sua capacidade de ir além dos limites que encontra em si mesmo.

E as pessoas ficam muito dependentes do meio de onde viveram e de como aprenderam. Há sempre uma infinidade de campos potenciais a serem desenvolvidos, geralmente retidos por crenças limitantes, com modos de pensar muito estreitos.

Por isso, é fundamental nas organizações, para seu desenvolvimento e sucesso, que haja um comprometimento continuado de treinamentos e vivências capazes de trazer à tona toda a gama de possibilidades de evolução de todos os partícipes de sua atividade.

Reter talentos pois, não é suficiente. É preciso promover talentos. É preciso um esforço incessante no sentido de as pessoas ampliarem seus conhecimentos, desde o mais avançado especialista, o engenheiro de ponta ou o assessor jurídico, até os considerados mais humildes colaboradores, tais como os operadores de máquinas e os encarregados de limpeza.

Todo ser humano quer saber por que faz isto ou aquilo, aonde quer chegar. Se não souberem em que se encaixa sua atividade no todo da organização, como esperar deles entusiasmo e motivação?

Isto é, a motivação, que pertence ao campo das emoções em nossa mente, depende dos conhecimentos, da razão de ser, de uma visão sistêmica da organização.

Como o Coaching e o Mentoring podem ajudar na retenção de talentos

Como vimos, desenvolver pessoas é um dos maiores desafios da organização. Aqui entram o Coaching e o Mentoring.

O Coaching e o Mentoring potencializam o capital humano da empresa.

Quando uma pessoa precisa de motivação, de compreensão, ou se estiver passando por momentos difíceis, seja no trabalho ou na vida pessoal, aqui entra o papel do Coaching e do Mentoring.

Para a retenção de talentos, o Coaching e o Mentoring olham o lado profissional juntamente com o humano, que é quem vai exercer o profissional. Desenvolve seus talentos buscando as potencialidades que a pessoa tem dentro de si.

retenção de talentos

O Coaching e o Mentoring trabalham o fortalecimento dos profissionais que fazem acontecer os objetivos da organização.

Desenvolver pessoas e gerir conhecimento tem sido um dos maiores desafios para as organizações. Afinal, a inteligência humana, os recursos intelectuais são sem dúvida os ativos mais valiosos das organizações.

Mas, para as pessoas colocarem seu conhecimento a serviço da organização, é preciso que tenham motivação, que se sintam valorizadas e reconhecidas – que é o lado emocional da liberação dos talentos.

Conclusão

O Coaching tende a fazer brotar nos coachees formas mais adequadas e criativas de aplicar seus talentos em busca de crescente competência no exercício de suas atividades, para competências mais apuradas e evolução profissional.

O Mentoring, por sua vez, foca no desenvolvimento pessoal, no encontro consigo mesmo, ao mesmo tempo que amplia sua capacidade de liderança e de relacionamentos mais construtivos, buscando fazer do mentorado um promotor de clima organizacional mais alegre e produtivo, com espírito cooperativo e troca de experiências pessoais e profissionais.

Ambas as metodologias fazem emergir um mundo de potencialidades que costumam estar latentes, geralmente não conscientes.

A resultante das atividades de Coaching e Mentoring é muito mais que retenção de talentos. É multiplicação de talentos e vontade de continuar e crescer no clima da organização. Aí sim, além de fazer parte fundamental do ativo das empresas, as pessoas serão muito mais: pessoas que ali se sentem mais gente e partícipes de um projeto comum. É desta forma que o Coaching e o Mentoring podem ajudar na promoção e retenção de talentos.