Resiliência: a marca dos fortes

Resiliência é capacidade de sermos flexíveis frente a dificuldades ou adversidades. Flexíveis, mas não frouxos.

A palavra resiliência tem sua origem emprestada da física e significa a capacidade do indivíduo de lidar com situações adversas, adaptar-se a mudanças, superar pressões, obstáculos e problemas, e reagir positivamente a eles sem entrar em conflito psicológico ou emocional.

Nas organizações, a resiliência é de muita importância na tomada de decisões, em situações em que alguém tem que encarar a tensão do ambiente frente à vontade de vencer. Essas decisões propiciam forças estratégicas para a pessoa enfrentar a adversidade.

O objetivo da resiliência não é apegar-se ao passado, mas propiciar condições de dar um salto para frente. É a habilidade de manter o seu propósito enquanto você se adapta a novos métodos e procedimentos, buscando criar novas situações, mas adequadas ao que está se propondo.

Vamos entender um pouco sobre resiliência e porque deveríamos ser resilientes em nosso cotidiano. Para sermos resilientes é importante que saibamos administrar nossas emoções. Nos mantermos serenos diante de uma situação de estresse. Isto quer dizer que precisamos aprender a ter consciência de nossas emoções e, frente a elas, nos regularmos.

Isto requer um autoconhecimento para então obtermos um autocontrole. Controlar nosso impulso de agir, controlar nosso temperamento. Pessoas autoconfiantes não têm medo de arriscar. Têm liderança. Sabem administrar seus comportamentos nas diferentes situações. Não se deixam levar pela pressão que vem de fora ou se dobram frente ao inesperado.

Ter resiliência é ter serenidade diante da adversidade. É saber ouvir calado, por saber que não é o momento de debater. É ter calma nas situações desesperadoras.

A pessoa resiliente desenvolve sua capacidade de estar atento, de identificar e perceber situações e circunstâncias que podem trazer problemas, conflitos ou adversidades que se tornem presentes. Ser resiliente é, principalmente, ser otimista. É ter otimismo para a vida, ter um olhar positivo. É amar a vida. É estar de bem com a vida.

Resiliência é sinônimo de postura focada, madura, cativante e que não desiste. É a maturidade aliada à criatividade.

Pessoas resilientes transformam infortúnios em coisas boas e se fortalecem na adversidade. Olham para uma situação e perguntam: o que isto tem a me dizer? O que preciso aprender com esta situação? Aprendem sempre alguma coisa quando algo sai errado.

É a crença em si mesmo, em sua capacidade de organizar e executar ações eficazes, em busca dos resultados desejados e sentir-se seguro.

Pessoas com este perfil conseguem conquistar e manter pessoas a seu lado, dando-lhes oportunidade de evoluírem. Porque emitem à sua volta um clima de otimismo e bem-estar com a vida. Sabem olhar para as outras pessoas e emitir uma mensagem de empatia, porque sentem o que os outros sentem, e provocam interação, conectividade e criatividade entre as pessoas.

Podemos também dizer que as pessoas com resiliência têm razão de viver, têm um sentido de vida, um propósito para a sua vida. Elas têm grande capacidade de adaptação, pois são flexíveis tanto mental quanto emocionalmente. Sabem lidar tanto com sua inteligência racional quanto com a emocional. São ao mesmo tempo sérios e concentrados, mas também são alegres e brincalhões, pois esperam que tudo termine bem. Seu propósito de vida é balizado por valores profundos que orientam seu processo de tomada de decisões.

São pessoas que sabem se defender e aprendem com as experiências da vida, por isso elas têm amizades e relacionamentos saudáveis.

São indivíduos que analisam os problemas e dificuldades sob os mais variados ângulos e descobrem as mais diferentes soluções para eles. Sabem e reconhecem a importância da intuição como fonte de intuições, dicas e orientações. Procuram constantemente desenvolver a criatividade, expandindo, desse modo, a inventividade e a busca de novos horizontes pessoais e profissionais.

Exemplo de uma pessoa resiliente foi Nelson Mandela. Em um período onde a segregação racial era fortíssima, Mandela foi um símbolo mundial da luta contra o Apartheid. Ficou 27 anos recluso em uma cela, privado de seus sonhos, de sua luta e de sua família.

Após sua liberdade, Mandela nunca demonstrou ressentimento ou desejo de vingança pelo o que lhe ocorreu. Muito pelo contrário, seus discursos sempre foram serenos, cheios de mensagens de paz. Estava focado no que queria: a liberdade social e a unidade da África.

Seu desejo de ajudar as pessoas que sofriam com o preconceito repercutiu em todo o mundo, rendendo a Mandela o Prêmio Nobel da Paz em 1993.

Na vida tudo é probabilístico, o amanhã nunca é certo. Ao longo da vida vamos ser derrubados diversas e diversas vezes. São nossas lições de vida. E não somos só nós que vamos levar rasteiras quando achamos que já estávamos conseguindo. O que faz a diferença é a forma como lidamos com as situações adversas.

O motivo para cada um se tornar resiliente é particular, mas a origem da resiliência é igual para todos, é uma força que emana de dentro de cada um, algo interno. As pessoas que demonstram resiliência têm muita força interior.

A resiliência se encaixa em qualquer estilo de vida. Depende de nossa capacidade de adaptação. Pelo fato de não vivermos apenas bons momentos, faz-se necessário que saibamos como lidar com os bons e os maus momentos, bem como não se deixar abalar por qualquer situação.

As coisas vão acontecer de qualquer forma, o tempo irá passar de qualquer forma, mas quem decide como encarar as coisas e o tempo é única e exclusivamente você. Podemos, sim, aprender a ter uma mente aberta, a abrir nosso coração, buscando entender nossas emoções e, com vontade aberta, ter coragem de fazer acontecer. E assim vamos nos tornando cada vez mais resilientes, conectados com a vida e as outras pessoas, e com muita alegria de viver. Atentos ao momento presente, sem prisão ao passado e sem medo do futuro, vamos fortalecendo nossa resiliência. A resiliência é a marca das pessoas fortes, sem medo da vida e de viver. E viver demonstrando generosidade para com as pessoas, e resultando em alegria. Nós vivemos em busca da felicidade. E a felicidade está dentro de nós. Assim como a resiliência.

Por isso podemos tomar nossa vida na mão, aprendendo com a vida, com resiliência, e fazendo a vida acontecer.

Quem sabe faz a hora, não espera acontecer.

Marcos Wunderlich e Renato Klein

2018-09-05T15:11:34+00:00

Deixar Um Comentário