Qual é o Segredo para uma Postura Focada?

A expressão “ter foco” ou “estar focado” significa estabelecer um objetivo, dar um direcionamento e organizar-se para alcançar o que se pretende.

Foco, em física, é o ponto para onde convergem os raios de luz. Focar em alguma coisa, em algum objetivo, é direcionar a energia (os raios de força) no sentido de fazer acontecer o que se intenciona alcançar.

Então, ter uma postura focada é manter a atenção direcionada e convergente para tudo que fazemos ao longo do dia, seja no trabalho, no esporte, na direção de um veículo ou nos relacionamentos com pessoas e animais ou qualquer outra atividade.

Postura Focada nos relacionamentos humanos

E é no que diz respeito ao campo dos relacionamentos humanos que vou focar as reflexões a seguir. E são os relacionamentos com as pessoas que mais nos fazem sentir prazer e alegria de viver, mas também é nesses relacionamentos que temos as maiores dores de viver, os maiores estresses, o campo de maiores preocupações e insatisfações ao longo de nossa vida. Os grandes conflitos vivenciais, profissionais e mesmo sociais emergem das relações mal conduzidas e mal resolvidas.

Nós somos seres essencialmente relacionais. Tudo em nós e fora de nós está em conexão. Observe, por exemplo, nosso corpo, nosso organismo. Tudo dentro de nós está em relação. Boca, pulmão, estômago, fígado, intestinos, rins, bexiga, a pele, os ossos, o sangue que tudo alimenta e recolhe o que se desgastou em nossas células, nosso cérebro que comanda toda esta interligação através de nossos neurônios, etc. Tudo é relação e só estamos vivos porque tudo está funcionando, isto é, está se relacionando de forma adequada. Ficamos doentes quando alguma coisa sai fora de foco e então funciona de forma desgastante.

Pois é assim que funcionam também nossos relacionamentos interpessoais. Quando as pessoas se relacionam de maneira focada, todos saímos ganhando, há pouco desgaste e a resultante é nos sentirmos bem, harmônicos, em paz.

E qual é o segredo para termos uma postura focada em nossos relacionamentos? Em nossos instrumentais do sistema ISOR® nós propomos três focos básicos para acionarmos um bom clima de relacionamento positivo, com pouco desgaste. Os três focos são expressões das três principais áreas de funcionamento de nosso cérebro. Acompanhando o lado operacional, temos a postura condutora; do lado racional, temos a comunicação real; e do lado emocional temos a atitude de estar presente no aqui e agora.

Vamos aprofundar mais um pouco estas três expressões.

Postura Condutora

Um relacionamento é focado com postura condutora quando a pessoa age com liberdade interior, quando é dona de suas decisões, quando tem opções próprias, quando é resiliente, tem jogo de cintura, mas sabe ser firme e resistente, sabe delimitar seu campo, sem invadir o espaço dos outros ou se deixa invadir. E, o ponto mais importante, se mantém centrado, com foco em seu interior, e cultiva suas próprias crenças e valores sem se deixar engrupir pelo que os outros dizem ou creem, mas os respeita. E procura agir de forma cooperativa.

Está desfocada da postura condutora a pessoa que perde sua autocondução e se deixa conduzir por fatores externos, tais como clima organizacional, ordens de chefias, crenças introjetadas e inconscientes, tradições culturais não avaliadas segundo seus próprios valores. Por exemplo, quando insuflados por uma competição em que se tenta colocar-se acima ou melhor que o outro, que então se torna um oponente a quem é preciso vencer a qualquer custo. Nesse caso, sempre alguém sai ferido, magoado, desejoso de revide, o que provoca desgaste de energia e estresse.

Quando nos deixamos dominar por emoções negativas, por dramas mentais, pelo medo e a angústia, perdemos nosso centramento e, portanto, nossa postura condutora. A pessoa descentrada tende a querer se impor sobre os outros ou se deixa dominar, torna-se submisso.

Também estamos descentrados quando nos tornamos seguidores de algum guru ou um mestre, ou quando nos atrelamos a alguma doutrina filosófica ou religiosa ou ideológica que tende a tomar conta de nossa mente. Nós não precisamos seguir ninguém nem nenhum dono da verdade. Nós já temos a Verdade dentro de nós. Através do centramento e da meditação nós temos acesso a esta Verdade, que nos conecta com a Vida.

Postura do estar presente aqui e agora

Nossa vida é um constante fluir, uma passagem pelo tempo. Mas tudo somente acontece agora e aqui mesmo onde estamos. O passado não existe no agora. Já foi. O futuro também não existe no agora. Ainda será.

Da mesma forma, não existe lugar melhor nem pior do que este onde estou agora. Este é o único lugar que posso ocupar neste instante.

Cultivar a consciência de estar presente no aqui e agora nos permite valorizar a vida do jeito que ela é, nos leva a dar valor às pessoas com as quais compartilhamos este momento, dar valor às coisas que temos, ao mesmo tempo em que sabemos que nós e elas estamos somente de passagem, que tudo é provisório nesta vida. Pessoas e coisas estão conosco, mas não são nossas. Se nós nos apegamos a elas, preparamos o sofrimento da separação, que virá, queiramos ou não.

Julgar a nós mesmos e a outras pessoas também é desgastante, nos leva a fugir do agora, porque sempre que julgamos é em função de alguma coisa do passado, de crenças e valores que carregamos conosco, quase sempre sem nos darmos conta. O julgamento nos impede de fazer uma avaliação correta no presente. E todo julgamento das pessoas é um ato de deslealdade. Perdemos a postura condutora, pois quem dá as rédeas são coisas que não são nossas nem condizem com o agora.

Ficar preso no futuro, cheios de ansiedades e de medos nos leva a fugir do presente e pode até mesmo nos tornar irresponsáveis pelo que está acontecendo.

O segredo para uma postura de estar presente no aqui e agora é estarmos atentos a nossa intenção naquele momento, a perceber qual a abertura de coração que temos, qual a aceitação da vida e das pessoas como são. Se tomamos consciência de que nossa intenção básica é tirar proveito de tudo e das pessoas, nosso campo relacional será muito desgastante. Criamos barreiras que podem tornar o relacionamento muito difícil e mesmo amargo, sem lugar para entreajuda e real colaboração. É fonte certa de conflitos desgastantes e caminho para sentir o peso da solidão, de não nos sentirmos compreendido. Poderemos ser rejeitados e temidos, mas não poderemos sentir-nos aceitos e amados.

Comunicação real

Para mantermos uma postura focada nos relacionamentos é imprescindível termos uma comunicação real.

O que é ter uma comunicação real? A comunicação é real acontece quando é explícita, limpa, clara, direta, quando se abre o jogo e se respeita a capacidade de compreensão das outras pessoas.

Para termos uma comunicação real em casos de divergências é importante a negociação. Tudo explícito e negociado. É buscar o consenso com compreensão mútua do ponto que se negocia. Isto evita conflitos, mal-entendidos, mágoas, cobranças.

Nem sempre se pode dizer tudo. Há que sentir até onde a outra pessoa vai conseguir entender o que estou querendo comunicar. Não se pode “dar feijoada a recém-nascido”. Mas, jamais mentir, jamais enganar. Toda mentira, todo engodo, toda desculpa esfarrapada acaba se voltando contra quem as usa. Toda criança, mesmo quando bem pequena, sente quando se diz a ela uma mentira. Isto deixa nela uma marca no inconsciente. E com isso, lá se vai a confiança, base para um relacionamento realmente produtivo, consistente, que traga alegria e bem-estar.

Uma comunicação está desfocada quando se apresenta através de táticas, de disfarces, quando enrola e se justifica a toda hora. As fofocas atuam como tiririca, que infestam um ambiente de intrigas, geralmente danosas às pessoas. Elas hoje adquiriram um nome chique, o bullying, gerador de apelidos desrespeitosos e de chacota.

O ponto mais importante na comunicação real é tomar consciência da intenção básica daquilo que se está comunicando ou negociando. Será que está havendo respeito às pessoas ou ao grupo ou à comunidade? A postura de quem comunica é focada na compaixão, que agrega, ou na competição, que desagrega e gera clima negativo e postura de defesa?

Já dizia o grande Mestre: “Amar ao próximo como a si mesmo”, este é o segundo maior mandamento, depois daquele “Amar ao Pai Fonte da Vida acima de tudo”. Este é o grande norte para se ter uma postura focada neste complexo campo dos relacionamentos, que é compartilhado com os ensinamentos de todos os grandes mestres do ocidente e do oriente.

O cultivo dessas três abordagens do campo relacional – a postura condutora, o estar presente e aceitar o que se apresenta aqui e agora e ter uma comunicação real – vão gerando em nós uma postura realmente focada que só nos traz benefícios, a nós mesmos e a todos os que compartilham conosco o dia a dia, gerando excelência na convivência humana.

Uma postura focada é o cerne da postura prestadia nas atividades de Coaching e Mentoring, quando acompanhada de uma intenção básica e profunda de estar a serviço da vida e da expansão da consciência e visão de mundo de nossos clientes.

E aqui está o segredo de como cultivar e manter uma postura focada em todas as nossas atividades que envolvem relacionamento humano de realização plena.