O que é VUCA: 5 aspectos dessa visão de mundo

Você está preparado para o mundo VUCA? Está preparado para viver no mundo onde tudo está conectado, onde tudo é interdependente e globalizado? Vamos entender o que é VUCA e os aspectos dessa visão de mundo.

Entendendo o que é VUCA

O termo VUCA surgiu no vocabulário militar americano na década de 90 para explicar os fenômenos que estão acontecendo no mundo de hoje, caracterizado por um ambiente instável, agressivo e desafiador. De que forma nos podemos nos mover neste mundo?

VUCA vem sendo usado também no mundo das organizações para fazer face às exigências de lidar cada vez mais com cenários de mudanças, complexos e dinâmicos.

Passou-se, pois, a ver o mundo de hoje como um mundo VUCA (em inglês) ou VICA (em português). Significa que descrevemos um mundo com Volatilidade (Volatility), Incerteza (Uncertainty), Complexidade (Complexity) e Ambiguidade (Ambiguity). E é num mundo com essas características que estamos vivendo, percebido principalmente a partir da metade do século XX, e que, em verdade, sempre foi assim, mas nossa visão de mundo nos deixava cegos para isto. Até mesmo a ciência encarava o mundo como feito de objetos fixos, a serem descritos e analisados.

Vejamos rapidamente essas características apontadas por VUCA:

  1. Volatilidade (Volatility) – tudo é impermanente e fluido, tudo muda o tempo todo com uma velocidade cada vez mais rápida e com um tremendo impacto no mundo humano e na natureza, o que nós ainda mal conhecemos. Velhos paradigmas são postos em cheque, levando a revisões constantes de nossas crenças e valores.
  2. Incerteza (Uncertainty) – tudo é probabilístico, imprevisível, não se sabe o que pode acontecer. Há que saber lidar com o inesperado. O futuro é incerto, está difícil de ser previsto. Não há verdades intocáveis. A verdade não é algo a que devemos nos submeter, é uma descoberta incessante, ampliando-se, superando-se, incorporando novos aspectos e desapegando-se do desgastado.
  3. Complexidade (Complexity) – nada é simples. Tudo está interligado e interconectado, todas as coisas, todos os seres estão conectados formando uma imensa rede que abarca tudo, não há nada isolado no universo físico, vivo e humano. Existe uma interdependência de tudo com tudo. Não podemos mais olhar as coisas e o mundo de forma linear.
  4. Ambiguidade (Ambiguity) – Não existem mais definições absolutas de nada, tudo pode ter diferentes, e às vezes até opostas, interpretações, possibilidades e variadas respostas. É tudo inexato, incerto, duvidoso. É o aspecto mais difícil de ser aceito e entendido mesmo entre os cientistas. Como entender a natureza do que está acontecendo, do que está sendo analisado?

Diante dessas características apontadas por VUCA, quero destacar 5 aspectos que nos ajudam a entender o mundo e que podem ampliar nossa visão de mundo, de forma a melhor entendermos esta dinâmica toda que estamos vivenciando. Entender esses aspectos e começar a cultivá-los são condições de sucesso para atuar nesse mundo em disrupção.

Como se adaptar com qualidade de vida

  1. Visão Ecológica: é a capacidade de ter uma visão holística e sistêmica, que aponta para a interligação de tudo no universo. Pessoas, organizações humanas, o meio ambiente – em todas as situações há relações e influências entre os componentes ambientais, sociais, políticos e econômicos. Esta visão leva o ser humano a um reposicionamento como partícipe integrado no todo do universo e, particularmente, compromissado com o equilíbrio de todos os partícipes da vida no planeta. Diante do rápido avanço desse mundo VUCA e dos desequilíbrios proporcionados pelo desenvolvimento tecnológico e econômico em relação à própria subsistência das condições de vida no planeta, é urgente uma mudança radical da forma de ver este mundo. Uma organização humana que não levar em conta esta visão ecológica, além de ser cúmplice dos problemas, irá rapidamente confrontar-se com mudanças culturais que poderão levá-la a se desintegrar.
  2. Dimensionamento: é a capacidade de abrir-se para captar e avaliar qualquer situação e posicionar-se antes de decidir o que fazer. É dimensionar para posicionar-se no mundo VUCA. Isto porque todo resultado depende das condições iniciais. Indica a necessidade de avaliar melhor uma dada situação antes de decidir o rumo a ser dado. Capta o clima existente e se ajusta, buscando o foco dinâmico da realidade como se apresenta.

É a mente que vê e dá sentido a tudo. É preciso ter consciência dos paradigmas, das crenças, dos preconceitos com que abordamos as situações. Por consequência, o importante é dimensionarmos nossa mente frente à realidade que se nos apresenta. Dimensionar para saber apresentar-se nas condições do mundo VUCA.

  1. Direcionamento: refere-se à capacidade de dar rumo, direcionar e organizar os processos para tomada de decisões, planejamento, condução, gestão e liderança. Isto implica clareza e ordenação mental, abertura para o novo, para o probabilístico, para a volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Há que abandonar as certezas presas a paradigmas do passado e estar pronto para correr riscos. No campo das relações interpessoais, para dar direção, há que cultivar a postura focada, principalmente no que se refere ao espírito cooperativo, à delimitação de campo e à liderança participativa.
  2. Dinamismo: a fim de estar à frente dos rápidos processos de mudança que se tornam características do mundo VUCA, há que ser dinâmico e investir em processos de aprendizagem constante e contínua. E é preciso criar clima alegre, solto, motivador, entusiasta, o que faz renderem os processos operacionais. É de suma importância a construção de equipes integradas, com participantes comprometidos com as metas setoriais e integrados aos objetivos maiores da corporação. O cultivo de sentir-se partícipe, de sentir que pertence ao grupo, à equipe, à organização é a mais eficiente multivitamina para dinamizar as ações.
  3. Transcender: significa ir além da forma, romper o casulo, abrir-se para um novo tempo. É renascimento, renovação, reformulação. É ter a coragem de olhar para frente e criar o novo tempo, de criar o novo. Diante da complexidade do mundo VUCA é ter coragem de se abrir e criar um novo tempo. Para isso, há que reordenar as funções, reorganizar. E, sobretudo, transcender nossa visão de mundo.

Para isso, há que ter ousadia reempreendedora, ter coragem de largar o velho e partir para um novo tempo. Isto implica em reformular até mesmo a missão e em aprofundamento da consciência da própria identidade: “Quem somos nós agora e daqui por diante?”.

Toda experiência adquirida nas fases anteriores se tornam agora o estoque de experiências e terá que ser vista com novo olhar. “Nada do que foi será de novo do que já foi um dia”, diz a música de Lulu Santos.

Esses 5 aspectos ampliam a nossa visão de mundo e nos ajudam a entender a dinâmica do mundo VUCA, este mundo que estamos vivenciando.

Como estamos vendo, nada é estático e sólido. Tudo vibra permanentemente e está em processo de mudança constante.

Essas mudanças são cíclicas e evolutivas. Podem conter ciclos de curta duração (como as freqüências de luz ou som) ou de longa duração (como um dia, um ano, o tempo de vida de uma pessoa, um ciclo histórico, etc.). Mas todos contêm um começo, meio e fim. As plantas nascem, crescem, se multiplicam e morrem. Os animais também. E nós, seres humanos, não somos exceção. Nascemos, crescemos, nos multiplicamos, envelhecemos e morremos. E nossas instituições acompanham isto que é próprio do mundo processual em que vivemos. Elas também nascem crescem, se expandem, definham e morrem.

Não dá para entender isso sem transcender a visão linear, cartesiana, mecanicista, estática que ainda predomina em nosso meio cultural e mesmo científico, que ainda é o paradigma predominante nos meios corporativos.

É preciso mudar o olhar, ampliar nossa visão de mundo, olhar a realidade em que vivemos e que nos cerca com um enfoque dinâmico, sistêmico, probabilístico e holístico.

O mundo VUCA, com esta visão ampliada, ecológica, contém realmente um forte apelo à renovação, ao comprometimento com uma reformulação de nossas relações com nossos semelhantes e com a vida com um todo.

Neste sentido, o mundo VUCA está se colocando junto à vanguarda de um novo tempo que vem aflorando no planeta como instrumentação mental para transcender os impasses que a forma de desenvolvimento socioeconômico vem criando e que está a exigir urgência em mudar de rumo.