O que é Desenvolvimento Pessoal e Profissional?

Você certamente já se flagrou pensando ou dizendo: Quem sou eu? Que é que eu faço nesta vida?

De forma muito simples eu lhe respondo: Você é um ser que está sempre se fazendo ser. Você hoje é diferente de ontem e é diferente do que será amanhã.

Nós todos somos seres em evolução, quer saibamos ou não, quer queiramos ou não. Somos seres em desenvolvimento pessoal desde que nascemos.

O que é Desenvolvimento Pessoal

Nós podemos simplesmente deixar que as coisas aconteçam em nossa vida. Nesse caso, seremos conduzidos por forças externas a nós: família, religião, escola, empresa, cônjuge, pátria, ideologia. Podemos seguir a filosofia do Zeca Pagodinho: “Deixa a vida me levar.” Entregamos, então, a direção de nossa vida a essas forças externas, tais como o destino, a família, uma entidade espiritual, uma divindade, um partido, uma ideologia, uma religião, uma filosofia.

Tudo isso pode ser de grande valia na vida, mas nos tira o que de mais valioso temos enquanto seres humanos: nosso livre arbítrio. Existem coisas e acontecimentos que nós não podemos controlar. Mas sobre muitas coisas, acontecimentos e pessoas nós podemos, sim, exercer alguma forma de influência e dar um rumo pessoal ao que precisamos.

É aqui que vale a pena fazer valer nosso livre arbítrio e fazer acontecer o nosso desenvolvimento pessoal e profissional.

Para isto acontecer, precisamos romper nossas limitações, principalmente as limitações de crenças e valores. Mas este direcionamento próprio exige de nós um grande esforço de desenvolvimento pessoal. Exige de nós uma autoafirmação e um mergulho sincero em busca de autoconhecimento. Um esforço pessoal de descobrir nossas potencialidades, o imenso leque de possibilidades que podemos desenvolver em nós.

Quero destacar 3 pontos em torno dos quais é importante o investimento no desenvolvimento pessoal e profissional:

Desenvolvimento Pessoal para o Sustento

O desenvolvimento pessoal é um processo de aprendizagem contínuo. Estamos sempre aprendendo a desenvolver nossa liberdade pessoal.

O primeiro aspecto a desenvolver em nós é a capacidade de nos auto sustentar, de nos mantermos vivos, de termos o que comer, vestir, morar, cuidar da saúde, obter os meios de sobrevivência. Quando bebês e crianças dependemos dos outros para sobreviver. Uma pessoa que não aprende desde pequeno a cuidar de si, de sua higiene pessoal, a escolher comidas saudáveis, a cuidar de sua roupa, sua cama, etc., essa pessoa poderá ter dificuldade de desenvolver seu auto sustento.

Desde pequenos devemos e podemos aprender a encarar desafios, a romper limitações e, simultaneamente, a medir consequências de nossos atos. Se recebermos tudo pronto e de mão beijada, é isso o que vamos buscar fazer o resto da vida.

É de pequenos que precisamos aprender a cuidar de nosso corpo e do nosso meio ambiente, do qual nos alimentamos e com o qual convivemos. É o aprendizado de respeito à vida em todas as suas expressões. É dela que nos sustentamos. E precisamos aprender a também cuidar e dar, merecendo o que recebemos da natureza.

O foco desta etapa de desenvolvimento pessoal é aprender a cuidar de si, a amar a vida em si mesmo e em todas as suas expressões.

Desenvolvimento Pessoal para a Convivência Humana

O segundo aspecto é a aprendizagem do desenvolvimento pessoal para a convivência humana.

Ela começa no ambiente familiar. Ali se aprende a querer bem e a respeitar cada um como é, a definir as diferentes funções, a aceitar as precedências naturais e a conquistar seu próprio espaço, respeitando os espaços das outras pessoas.

É também o ambiente familiar o principal indutor de nossa visão de mundo, de nossas crenças e valores básicos. É comum a expressão “eu aprendi isso com meus pais”. Quando a carga afetiva era predominantemente positiva, aprendemos a aceitar como nossa esta visão de mundo sem maiores questionamentos. Quando, porém, ela nos era imposta de forma autoritária ou com violência, adquirimos uma predisposição para questioná-la e partir em busca de novas formas de olhar a vida e as pessoas.

É também nesta convivência básica familiar que aprendemos a ver a vida de forma dicotômica, aceitando e incluindo o que aprendemos que é o certo e verdadeiro e bom e a excluir e até mesmo a combater o que aprendemos que é o errado ou mau.

No processo de aprendizagem da autocondução pessoal temos uma difícil tarefa: buscar nossa própria forma de ver o mundo e as pessoas, a ir além da dicotomia excludente e a aceitar as diferentes crenças e valores, a conviver com pessoas e grupos com costumes diferentes dos nossos.

Algumas das mais difíceis lições a aprender é a de tomar consciência dos preconceitos assimilados na base vivencial – família, escola, colegas, comunidade – e a superá-los, para que não interfiram em nossos decisões pessoais.

A mais difícil aprendizagem nesta área é a de distinguir entre não aceitar determinados posicionamentos ideológicos, religiosos, políticos ou filosóficos com rejeição das pessoas que optam por algum desses posicionamentos. É o que provoca as maiores tragédias em contextos familiares, comunitários, nacionais e internacionais. Cada ser humano tem o direito de optar por suas crenças e de ser respeitado enquanto tal. Mas também a recíproca, cada pessoa tem o direito de discordar de posicionamentos, respeitando, porém, o direito do outro ao diferente ou à discordância.

O foco desta etapa de desenvolvimento pessoal é aprender a respeitar os outros seres humanos e a ultrapassar as limitações do gosto x não gosto, do aceito x rejeito. Em outras palavras, é a convivência afirmativa e pacífica.

Desenvolvimento Pessoal para o Sentido de Vida

Um desenvolvimento pessoal maior envolve o aprendizado de um olhar mais amplo, um claro sentido de propósito na vida: Para que é que vivo? O que a vida pede de mim? O que tenho de mais valioso para compartilhar com as pessoas nesta vida?

Este é o verdadeiro amadurecimento no desenvolvimento pessoal e profissional. Uma convicção centrada de que somos criadores de nossa vida e co-criadores de um mundo melhor, onde todos aprendemos a nos sentir corresponsáveis por todos.

É a progressiva clareza deste propósito maior que vai nos dando sentido a cada passo em nossa caminhada pela vida. É com ele que vamos abrindo as trilhas por onde conduzir nossa vida.

A escolha de uma carreira profissional está diretamente ligada a esta percepção mais profunda. A maioria das pessoas tem pouca consciência disso, e escolhem segundo interesses mais imediatos, o que é positivo, mas insuficiente para dar sentido maior de vida.

Este sentido maior é também o que dá significação mais ampla à luta pela sobrevivência, criando em nós uma consciência de dignificação do trabalho e de proposta prestadia a favor da vida e das pessoas em tudo que fazemos para manter a vida em nós e em todos os seres com quem compartilhamos viver.

É este sentido maior de vida que dignifica nossa atuação como pais e mães de pessoas que se preparam para ser bem integradas na vida, pais e mães formadores de seres livres para realizarem seus próprios projetos de vida, em harmonia com as pessoas e todas as demais expressões de vida.

E é a percepção de que todos somos emergências e expressões da mesma Fonte de Vida que nos dá sentido de unidade, portadores de verdadeira paz para além de possíveis conflitos e de amor e compaixão como forma de visão madura e construtiva no relacionamento com as pessoas, instituições e com o mundo em geral.

Conclusão

O desenvolvimento pessoal tem a ver com o crescimento pessoal que é um caminho fundamental para desenvolver competência e habilidade para administrar as decisões, ações e reações que guiam a vida em direção aos objetivos, metas e sonhos. É a permissão de acesso ao nosso potencial infinito.

Investir em nosso desenvolvimento pessoal e profissional é crescer para a vida e para a autorrealização. Investir apenas no desenvolvimento profissional pode resultar em frustrações e confusões num mundo em constantes mudanças. Mas quando este desenvolvimento profissional vem calçado num esforço maior e contínuo de desenvolvimento pessoal, estaremos prontos para enfrentar os imprevistos, sem perda da alegria de viver, e para lutar criativamente pela construção de novos caminhos.

Você quer atingir o máximo do seu potencial? Então invista em seu desenvolvimento pessoal e profissional.