Inteligência emocional é um conceito da psicologia que descreve a capacidade de reconhecer os próprios sentimentos e os dos outros, assim como a capacidade de lidar com eles. Parece simples, mas na prática não é, requer um treinamento diário e constante. Precisa ser capaz de entrar em contato com suas próprias emoções, reconhecendo-as e controlando-as em cada situação.

O termo ‘inteligência emocional’ e o reconhecimento da competência para ultrapassar limites e atingir objetivos maiores passou a ser muito valorizado e comentado após a obra de Daniel Goleman, em 1995: Inteligência Emocional. Desde então, as empresas buscam os colaboradores que possuem maior autocontrole e facilidade para a tomada de decisão em situações mais conflituosas. Já outros colaboradores estão tentando se adequar e desenvolver algo que, muitas vezes, nem entendem o que é, pois demora um tempo para que as pessoas percebam que a inteligência emocional é a maior responsável pelo sucesso ou insucesso, na vida pessoal e profissional.

Inteligência emocional e a vida profissional

Essas habilidades, que unidas representam a inteligência emocional, podem ser desenvolvidas nas sessões de Coaching que auxiliam os indivíduos a reconhecerem suas próprias emoções e perceberem como elas se manifestam, porque e quais circunstâncias as afetam e de qual maneira. O próximo passo é adequar as reações de cada emoção de maneira apropriada a situação vivida, visando direcionar a emoção para realizar o objetivo de maneira positiva.

Ao chegar neste patamar, o processo é desdobrado para que a pessoa passe a ser capaz de reconhecer as emoções em outras pessoas, o processo conhecido como empatia. Ser capaz de perceber o estado emocional das pessoas com as quais nos relacionamos contribui para que os conflitos sejam resolvidos e não transformados em outros maiores.

Não se trata de “engolir emoções”, mas identificá-las. Entender qual a informação que os sentimentos estão passando e decidir o que realmente fazer com esses sentimentos, ou seja, como agir ou reagir. A boa notícia sobre inteligência emocional é que a maioria dos especialistas concorda que ela pode ser aperfeiçoada e melhorada ao longo de toda a sua vida. E, ao melhorar a sua inteligência emocional, isso terá efeito direto no progresso da sua carreira.

Por Viviane Peba Lopes | vivianepeba@oi.com.br
Professional Coach e Mentoring Holomentoring® ISOR® pelo Instituto Holos
Atua como psicoterapeuta Infantil, de Adolescentes e Adultos e como Consultora Organizacional e de Desenvolvimento de Pessoas.