Coaching e Mentoring: conheça as diferenças

Coaching e Mentoring são duas propostas pedagógicas que, apesar de terem suas raízes assentadas há muito tempo, emergiram nesse formato nos últimos 50 anos, se disseminando rapidamente pelo planeta.

Isso aconteceu pela necessidade de ferramentas mais operacionais para o mundo corporativo e de instrumentos voltados para o desenvolvimento humano e de melhoria da convivência familiar e profissional, o que havia grande carência nos sistemas acadêmicos formais.

Agora, as diferenças entre Coaching e Mentoring se situam menos em diferenças metodológicas, mas sobretudo em seus objetivos e, principalmente, em suas intenções maiores. Por isso, neste artigo, vamos entender o que cada uma das abordagens carrega, suas distinções e onde se aplicam. Boa leitura!

O Coaching

O Coaching é um processo de orientação personalizada em questões de desempenho e resultados, tanto pessoais quanto profissionais.

Ele é, segundo o ICF – International Coach Federation“uma parceria entre profissional (Coach) e cliente (Coachee) em um processo criativo e instigante que inspira o cliente a maximizar seu potencial pessoal e profissional”.

Essa é uma definição bem ampla, que abrange todo o leque da alta performance.

Podemos, então, dizer que, no Coaching, um instrutor (Coach) instrumenta seu cliente (Coachee) a evoluir em alguma área da sua vida e busca promover o desbloqueio de dons e habilidades que o Coachee já tem em potencial.

Sendo assim, o Coaching se direciona essencialmente para a gestão e qualificação operacional dos recursos e processos, buscando o desenvolvimento de competências e habilidades em vista aos resultados planejados.

coaching reunião

As pessoas, nessa perspectiva, são importantes recursos humanos a serem treinados e dinamizados com o propósito de alcançar com êxito as metas e objetivos propostos da instituição.

Nessa perspectiva, o Coaching é muito bom para as pessoas que buscam aprimorar sua atuação profissional e investem na evolução de suas carreiras.

Também é bom para as organizações que aperfeiçoam seu quadro de profissionais, em busca de maior competência e rendimento.

Diante do ensino pobre que a maioria tem nas escolas, é um complemento necessário e muito bem vindo para o aperfeiçoamento profissional.

O Mentoring

O Mentoring, por sua vez, se volta primordialmente para o lado humano, para os relacionamentos e a convivência das pessoas nas organizações, bem como para o desenvolvimento integral do ser humano.

Ele lida com a mente humana, buscando ampliação de visão de si mesmo, das pessoas, das organizações e de mundo. Outro aspecto do Mentoring é o trabalho com a identidade pessoal e institucional, a mentalidade, a assertividade da comunicação e a ética.

É um processo de transferência, de insights, de aquisição de nova mentalidade nos relacionamentos e na busca e clareza de uma identidade mais ampla, dinâmica, criativa e condizente com a Vida.

O eixo principal do Mentoring é a felicidade humana e a obtenção de formas de vida mais satisfatórias e coerentes.

Essa abordagem promove ainda, além de eficácia e sucesso profissional, qualidade em Liderança, Relações, Carreira, Mentalidade, Vida, Felicidade e Alegria de Viver.

Sua profundidade depende do grau de sintonia com as leis universais e o despertar da consciência e utilização da Sabedoria inata nas pessoas.

Quando alguém é Mentor verdadeiramente, significa que age a partir da postura de servir. Agora, existem vertentes que não vêem essa atividade assim.

Outros conceitos de Mentoring

coaching mestre xadrez

A maioria das escolas de formação tem uma visão mais restrita do Mentoring. Para elas, o Mentor compartilha conhecimentos e experiências para que os mais jovens possam aprender e colocar em prática em suas jornadas de trabalho.

Segundo esta definição, o Mentor é um Coach experimentado passando para um Coachee sua experiência acumulada ao longo de sua vida profissional.

Sem dúvida, uma tarefa muito importante e enriquecedora, muito utilizada principalmente quando da preparação de sucessores. Mas esta forma de entender o Mentoring (e o Coaching) levanta algumas questões muito sérias a serem consideradas:

  • Onde e como ficam o aprimoramento pessoal, os relacionamentos, a comunicação e, mais a fundo, as questões de vida, de identidade pessoal, de autoconhecimento e auto realização, de ampliação de consciência, de dignidade pessoal?
  • E como fica o Coaching e o Mentoring frente à Ética da Vida, quando se investe em melhor desempenho de organizações cujos modus operandi envolve formas de trabalho desumanas, que agridem o meio ambiente ou promovem produtos que fazem mal à saúde? Estamos dispostos a colaborar com isso, dando-lhes maior eficiência e mais lucro para seus desastrosos resultados para a sociedade e a natureza?

É por isso que a visão do Instituto Holos diverge de outras instituições, quando falamos de Mentoring.

Diferenças entre Coaching e Mentoring

As características apontadas entre o Coaching e o Mentoring expõem, sem dúvida, diferenças entre eles.

Mas isso nos permite dizer qual das duas é melhor? De forma alguma. São diferentes, sim, sobretudo em seus propósitos. Mas não se pode dizer que uma é melhor que outra. Ambas atendem a necessidades urgentes tanto a nível institucional, quanto a nível pessoal e de convivência humana.

Não é à toa que o Coaching, por exemplo, se disseminou tão rapidamente, tomando formatos os mais diversos, promovidos por inúmeros institutos e atendendo organizações dos mais diversos segmentos sociais.

Existem dezenas de modalidades de Coaching, tais como: Familiar, Esportivo, de Saúde, de Beleza, de Carreira, Psicológico, de Educação, de Negócios, de Gestão, de Liderança, de Equipes, de Resultados, Financeiro, Espiritual, de Qualidade de Vida, Life e muitos outros.

Cada uma atende a alguma área mais ou menos específica, buscando ampliar conhecimentos e desenvolvimentos de habilidades operacionais.

O Mentoring, por sua vez, muito mais do que servir como passagem de experiências e de bagagens profissionais e vivenciais, vem se expandindo por se propor como um instrumento despojado para atender a uma profunda e urgente necessidade do ser humano.

A ideia é instrumentar pessoas na busca de um sentido maior de vida. Fortalecer a busca por caminhos mais coerentes de realização de seus anseios de um espaço interior de liberdade, de felicidade e alegria.

Assim, o Mentoring se encontra com o Coaching enquanto cria ferramentas para a realização profissional e operacional de seus propósitos e objetivos de vida.

Conclusão

Sabemos que não há liderança, não há relacionamentos harmônicos e convergentes, sem uma boa gestão, isto é, sem coordenação, sem busca de clareza de objetivos. Não há Coaching sem Mentoring, nem Mentoring sem Coaching.

Quando estamos focados no processo de Mentoring, não há como não levar em conta os aspectos de gestão, de busca de resultados, de organização dos processos operacionais.

Da mesma forma, quando estamos focados no Coaching, não há como não se voltar para os aspectos humanos, de relacionamentos, de conflitos interpessoais, de falta de identidade, refletida na falta de motivação.

Por isso, utilize as duas abordagens na hora de atender seus clientes. É só com o uso simultâneo que você vai agregar valor real na vida deles.

Você sabe mais alguma distinção sobre o Coaching e o Mentoring? Contribua para o debate nos comentários!

2018-11-14T17:55:05+00:00

Sobre o Autor:

Marcos Wunderlich é referência nacional em Mentoring e Coaching Humanizado e possui 33 anos de experiência com mais de cinco mil alunos formados. Foi um dos primeiros especialistas a introduzir a Formação em Mentoring e Coaching no Brasil.

4 Comments

  1. Betania Candida 14 de novembro de 2018 em 21:58 - Responder

    Na minha concepção, o ser humano não é só razão ou só emoção. Assim, se faz necessário que haja um equilíbrio, uma vez que é preciso que o ser humano seja trabalhado de forma holística e, para tanto, devemos respeitar o humano que existe em cada um de nós. Se pararmos para analisar, no universo existe um equilíbrio e, respeitá-lo é o segredo para a transformação de vida. Para tanto, é imprescindível que dosemos um pouco de Coaching, pois precisamos alcançar metas e resultados e um pouco de Mentoring, pois é preciso entender o contexto no qual o seu Coachee se encontra e realizar um trabalho, focado no campo afetivo, relacional e do autoconhecimento.
    Conhece-te a ti mesmo, e conhecerás o outro e, no dado momento em que estiveres bem contigo mesmo, estarás bem com o mundo! Betania Candida

  2. Robson Zagrgre 14 de novembro de 2018 em 22:13 - Responder

    Ótima abordagem. Realmente senti que coaching e mentoring sempre deverão andar parelhas. Fiquei somente preocupado com a questão ética. Mas isso vou ver com minha tutora.
    Parabéns e forte abraço.

  3. Carla Roanita 16 de novembro de 2018 em 16:47 - Responder

    Amo seus textos. Super recomento a formação do Instituto Holos. Esta metodologia me ajuda bastante a perceber mais sobre meus potenciais. No que se refere a minha vida profissional com os meus atendimentos ( por ser um sistema aberto) eu pude compreender como agregar as minhas experiências, habilidade, talentos e arte (com a dança) na minha performance de atuação. Como isso, percebi como criar o meu diferencial, pois cada pessoa é única, mas fazemos parte do todo. Com esta visão humanizada, ficou claro para mim, como ampliação da minha visão de mundo é importante e delicioso. Sempre fiz isso intuitivamente, mas está sendo maravilhoso estar mais consciente do processo. Costumo dizer que esta metodologia me encontrou, rs. Por consequência, hoje sou feliz por contribuir para o desenvolvimento dos meus coachee, mentorados e queridos alunos.

    • Marcos Wunderlich 16 de novembro de 2018 em 18:47 - Responder

      Que bom, Carla! Fico feliz por agregar no seu desenvolvimento como pessoa, Coach e Mentora! 🙂

Deixar Um Comentário