Creio que a melhor forma de distinguir e, ao mesmo tempo, tornar mais visual a interconectividade que existe entre  Coaching e Mentoring está bem representada no gráfico sobre Alta Performance, em forma de diagrama, que apresentamos junto aos instrumentais ISOR®:

Gráfico representativo da influência do Coaching e Mentoring na Performance Profissional

Os papéis do Coaching e Mentoring na Performance Profissional

Coaching  Mentoring são metodologias pedagógicas, portanto de ensino-aprendizagem, que têm muito em comum, mas em que há também distinções importantes a fazer.

O ICFInternational Coach Federation – define Coaching “como uma parceria entre profissional (coach) e cliente (coachee) em um processo criativo e instigante que inspira o cliente a maximizar seu potencial pessoal e profissional.” É uma definição bem ampla, que abrange todo o leque da alta performance.

Podemos dizer, portanto, que no Coaching, um instrutor (coach) instrumenta seu cliente (coachee) a evoluir em alguma área da sua vida e busca promover o desbloqueio de dons e habilidades que o Coachee já tem.

A maioria das escolas brasileiras de formação de Coaching, porém, o restringem ao lado profissional, propondo ampliar a competência dos alunos na busca por resultados. Em geral elas focam o aspecto de Gestão, segundo nosso referencial acima. O que é muito bom para as pessoas enquanto aprimoram sua atuação profissional e investem na evolução de suas carreiras. E é bom para as organizações, que aprimoram seu quadro de profissionais, em busca de maior rendimento.

Nós, do Instituto Holos de Qualidade, logo nos primórdios de quando se começou a falar de Coaching no Brasil, aderimos e promovemos esta metodologia já a partir da década de 90. Mas algo nos incomodava. Havia um vazio muito sério. Algumas das escolas também se deram conta disso. Nós nos colocávamos algumas questões muito importantes:

1º – Onde e como ficam o aprimoramento pessoal, os relacionamentos, comunicação e, mais a fundo, as questões de vida, de identidade pessoal, de autoconhecimento e autorrealização, de ampliação de consciência, a dignidade pessoal, onde fica tudo isso?

2º – E como fica o Coaching frente à Ética da Vida, quando se investe em melhor desempenho de organizações cujos modos “operandi”, cujos objetivos envolvem formas de trabalho desumanas ou que agridem o meio ambiente ou que promovem produtos que sabidamente fazem mal à saúde? Estamos dispostos a colaborar com isso, dando-lhes maior eficiência e mais lucro para seus perversos resultados?

Não vamos aprofundar este assunto, que exigiria um trabalho mais amplo e sistemático. Mas nossa história como prestadios e nossa missão enquanto promotores da evolução física, emocional, cultural e espiritual do ser humano estavam a nos cobrar algo mais, algo explicitamente a favor da Vida e do bem-estar das pessoas. Foi aí que, no início do século XXI, passamos a direcionar nossas atividades para Coaching e Mentoring.

Mas será que a forma de Mentoring que vem sendo proposta por algumas escolas não é apenas uma forma mais especializada de Coaching, uma vez que os objetivos propostos também se focam na melhoria dos aspectos de gestão, sem a devida atenção aos aspectos humanos do mentorado e à ética da vida?

“No Mentoring o Mentor compartilha conhecimentos e experiências para que os mais jovens possam aprender e colocar em prática em suas jornadas de trabalho” – é a definição que é dada, com poucas variáveis, pelas diferentes escolas. Segundo esta definição, o Mentor é um Coach experimentado passando para um Coachee sua experiência acumulada ao longo de sua vida profissional. Sem dúvida, uma tarefa muito importante e enriquecedora, muito utilizada quando da preparação de um sucessor.

Mas nós queríamos algo mais profundo. Buscávamos propor às pessoas e suas organizações, à sociedade, ao mercado, uma atividade pedagógica focada mais nos aspectos humanos, promovendo uma ética profunda e mais coerente com a Vida. Passamos a dar ênfase maior ao Mentoring, juntamente com a formação em Coaching e passamos então a denominar nossos cursos como Formação de Mentoring & Coaching Humanizado.

E, para dar uma ênfase especial, um toque único, passamos a denominá-lo de HOLOMENTORING®. Nós levamos muito a sério o conteúdo da própria palavra Mentoria, derivada de Mente. O Mentor ou, melhor, o Holomentor® é, antes de mais nada, uma pessoa que busca despertar e cultivar em si mesmo, em seus Mentorados e nas pessoas de sua convivência uma ampliação mental, uma visão mais ampla, por isso holística, da profissão, da realização pessoal e profissional, da empresa, da vida, do sentido de vida. O Holomentor® estimula seus clientes a viver uma vida mais isomórfica, isto é, mais condizente com suas crenças, com crenças menos rígidas e excludentes, mais dinâmicas, evolutivas, abarcando a complexidade da vida.

Sabemos que não há liderança, não há relacionamentos harmônicos e convergentes, sem gestão, isto é, sem coordenação, sem busca de clareza de objetivos. Não há Coaching sem Mentoria, nem Mentoria sem Coaching. Quando estamos focados no Coaching, não há como não se voltar para os aspectos humanos, de relacionamentos, de conflitos interpessoais, de falta de identidade refletida na falta de motivação. Da mesma forma, quando estamos focados na Mentoria, não há como não levar em conta os aspectos de gestão, de busca de resultados, de organização dos processos operacionais.

É nesse sentido que o esforço do Instituto Holos se volta para o Holomentoring®, que é, na visão de seu presidente Marcos Wunderlich, “a arte da entreajuda em que o Mentor auxilia o Mentorado a aprender a cultivar-se e, degrau a degrau, caminhar rumo à excelência de vida pessoal, profissional e social. Está voltado ao profundo autodesenvolvimento do Mentorado, aplicado aos vários campos da atividade humana. Atitudes, Conceitos, Modelos e Sabedoria, quando integrados, geram os resultados do Coaching e Mentoring: pessoas mais capacitadas e, sobretudo, mais felizes.”

O Holomentor® é, aquele com quem o Mentorado partilha sua vida, suas questões vivenciais e profissionais, é um prestadio apto a pensar junto com o cliente, sem interferir em suas decisões, mas auxiliando-o a refletir sobre si mesmo e sobre o mundo que o rodeia, levantando opções, novas possibilidades de como encarar suas questões cotidianas e um mais amplo e consciente sentido de vida. Ele vai a fundo, com seu Mentorado, na questão da identidade pessoal, de como conduz seus relacionamentos, seus apegos e crenças limitantes, sua ética pessoal e social, o isomorfismo (= coerência) entre o que diz e o que sente, entre o que diz e o que faz. A interconectividade entre Coaching e Mentoring é capaz de conduzir à consciência e à superação de  grandes conflitos pessoais, relacionais e profissionais.

Marcos Wunderlich