O Coaching no Processo de Autoconhecimento

Todos nós buscamos a felicidade. Mas nem sempre conseguimos ser felizes. Afinal, por que será que as coisas não dão sempre certo? O que é preciso mudar? É aqui que entra a questão do autoconhecimento, onde o Coaching pode fazer diferença nesse processo.

Autoconhecimento é a consciência que alguém tem de si mesmo. É através do autoconhecimento que conseguimos chegar ao objetivo maior do processo de Coaching, a autocondução.

Você tem ideia de quanto você se conhece? A maior parte das pessoas acredita que é muito, mas a verdade costuma ser bem diferente.

Neste artigo, vamos entender qual é a importância do autoconhecimento no processo de Coaching e como essa questão colabora na condução de nossa vida, diante dos problemas que enfrentamos. Boa leitura!

A importância do Autoconhecimento

Se você não conhece a si mesmo, como acreditar em sua própria capacidade? Como confiar em você mesmo? Como esperar que as pessoas confiem em você? Como ir em busca de realizar seus sonhos, se não acredita que é capaz de decidir e pagar o preço?

E por que não acredita que é capaz? Porque provavelmente você sabe muito pouco sobre quem você é.

Por isso, o autoconhecimento é fundamental para desenvolver o amor por si mesmo e fortalecer a autoestima. É muito difícil alguém se conhecer interiormente quando sua busca está voltada sempre para o mundo exterior.

autoconhecimento autocondução

O autoconhecimento pressupõe uma busca em seu próprio interior por respostas e entendimentos para várias questões básicas sobre si mesmo e sobre a vida. E se o objetivo é evoluir a partir destas percepções, é ali que devemos investir mais para o autodesenvolvimento.

O autoconhecimento é essa capacidade que nos permite perceber e agir de forma gradativa sobre tudo aquilo que necessitamos transformar em nós mesmos. Por isso, ele é a chave que abre a porta da autocondução, esse esforço pessoal de segurar as rédeas da própria vida nas mãos.

Pode-se dizer também que o autoconhecimento é a ferramenta para resolver os problemas pessoais e encontrar a verdadeira felicidade que a vida pode proporcionar.

Já reparou como algumas pessoas são mais resilientes e têm uma confiança acima da média, enquanto outras se desequilibram, ficam tensas e nervosas diante de qualquer problema? A diferença entre essas pessoas está exatamente no autoconhecimento.

O papel do Coaching no processo de autoconhecimento

É importante entendermos uma coisa fundamental: nossa vida está constantemente mudando.

Desde o nascimento, vamos passando por etapas sucessivas de vida, que também significam etapas sucessivas de aprendizagem.

Na primeira infância, fomos adquirindo uma “consciência de empréstimo”, que recebíamos através dos ensinamentos passados por nossos pais e demais familiares. O autoconhecimento era todo revestido das características aprendidas.

As autodescobertas eram filtradas pela visão de mundo que nos vinha de fora. Muito pouco espaço existia para a criança se conhecer. Era praticamente forçada a conhecer somente as definições que lhe eram imputadas de fora para dentro.

Na adolescência, surgem frequentes choques entre os valores recebidos e o impulso interior de autodescoberta. O/a adolescente se vê tendo que escolher entre os valores familiares e os do mundo externo, da escola, dos colegas, dos meios de comunicação, valores de difícil conciliação.

E uma grande insegurança interior se apresenta. A vida pede definições, autoafirmações: sentimos que deixamos de ser criança e buscamos sua própria forma de ser adulto. O corpo pede uma definição própria quanto à sexualidade.

É onde entra o papel do Coaching.

Um Coaching de vida certamente vai ajudar o/a adolescente a encontrar suas próprias definições, em termos de autoconhecimento. O Coach poderá instrumentar seu Coachee a tomar consciência dos valores e crenças que herdou de sua infância, ajudando-o a redefinir valores mais condizentes com sua ânsia de viver.

E um Coaching de carreira seria um efetivo auxílio nesta fase de definição profissional e de inserção criativa no mundo do trabalho e da integração social.

Muito sofrimento poderia ser evitado – ou, pelo menos, melhor assimilado e superado -, se o nível de autoconhecimento e de consciência do jovem e, depois, do adulto, pudesse dar-se o direito de decidir sua própria vida e escolher com quem e como compartilhá-la.

Mais tarde, em torno do quinto decênio, outra fase difícil acomete as pessoas, homens e mulheres, a famosa crise da meia-idade.

É uma fase de redefinições de vida, com exigências de um reencontro mais profundo do sentido de vida, de desapego das muitas coisas que, até então, davam sentido e energia para lutar e realizar os projetos de vida, voltados principalmente para realização profissional e familiar.

Há um apelo maior em busca de autodefinições e de razão de viver, nos quais o Coaching de vida ou o Mentoring certamente poderão colaborar, sobretudo em termos de ampliação de visão em busca de maior harmonia e serenidade interior.

Qual a utilidade do autoconhecimento?

A utilidade do autoconhecimento é, principalmente, atingir a autocondução. Isto é, tornar-se dono de sua própria vida. Autocondução não é ter controle sobre sua própria vida, mas é você entender melhor a si mesmo e saber o porquê de agir e reagir dessa ou daquela maneira, não mais no automático, mas com consciência. E saber dar rumo à própria vida e pagar o preço por suas opções.

Na difícil questão dos valores e crenças, ter coragem de abrir-se para uma visão mais aberta, superando as formas estreitas e exclusivistas de encarar a vida e os relacionamentos, sem preconceitos. O autoconhecimento transcende os condicionamentos que, muitas vezes, nos impedem de aceitar as pessoas como elas são e, portanto, nos impedem de amar.

Como ampliar o autoconhecimento?

Comece por observar-se no seu dia a dia. Ao levantar da cama, pela manhã, veja quem influencia na sua decisão de que roupa vestir, o que comer ou não em seu café da manhã.

Tire um dia para isso e vá anotando em algum caderninho ou no seu celular. Passo a passo, busque em sua memória quais as figuras que inconscientemente costumam determinar o que e como agir e decidir.

Reflita também em como você aprendeu a justificar que deve dessa maneira e por que não deve ser diferente. Quem é que está decidindo isto em você?

autoconhecimento objetivos

Não significa que está errado fazer dessa maneira, mas você abrirá espaço para novas experiências, bem como passará a admitir que as outras pessoas possam agir de forma diferente e que também elas possam ter justificativas diferentes das suas.

Um Coach poderá auxiliá-lo a buscar conhecer melhor seus pontos fortes e fracos, seu potencial de desenvolvimento pessoal e profissional. Encare seus pontos fortes, seu potencial, o que tem de especial que te faz único. Ainda, olhe de frente também para os seus pontos fracos, quais áreas merecem ser cultivadas e incentivadas.

Quem se conhece e sabe quais são os seus pontos fortes e fracos tem a necessária confiança de que consegue usar suas qualidades para resolver as adversidades que a vida possa colocar em seu caminho.

Por outro lado, se você pouco se conhece, vai ficar em um ciclo vicioso onde busca continuamente a aprovação dos outros, pois não sabe dos seus reais potenciais.

Para cada qualidade sua que você descobrir, sua confiança vai melhorar, assim como a sua autoestima, além de você saber exatamente como agir de acordo com a sua natureza em cada situação da vida.

Isto pode ser melhor aprofundado se você aprender a meditar, sob orientação de um Coach ou Mentor. Em momentos de muita tensão e estresse, nada melhor que um pequeno instante de centramento pessoal e de meditação para readquirir a calma necessária para decisões mais condizentes ao que o momento está pedindo. E uma rotina de alguns minutos de meditação todo final do dia é extremamente vantajoso.

Conclusão

Conhecer-se é uma prática que é infinita e deve ser constante. Afinal, você nunca é o mesmo e nunca passa pelas mesmas situações todos os dias. Tudo de novo que acontece serve para te ensinar algo a seu respeito. Por um lado, se isso parece trabalhoso, os resultados são gratificantes.

Autoconhecimento significa olhar para si mesmo com honestidade e abertura para reconhecer, em si, as próprias capacidades. As próprias qualidades e falhas. Significa também apropriar-se de si e assumir a responsabilidade pela própria vida. Nós não somos vítimas dos fatos, coisas e pessoas. Somos protagonistas dos acontecimentos.

E o autoconhecimento, por sua vez, vai nos permitindo ampliar a autocondução, dando cada vez mais condições de tomar as decisões que consideramos as mais acertadas que o momento nos pede, sem submissão a valores alheios.

Ele nos permite também ser mais flexíveis e compreensivos na convivência com outras pessoas, seja no campo familiar, seja na vida profissional e social.

A maior e mais importante função do Coaching, sem dúvida, é a de dar suporte para ampliar o autoconhecimento de seus Coachees. E a maior satisfação do Coach é quando percebe que seu Coachee, ampliando seu autoconhecimento, vai criando maior densidade interior para tomar as decisões mais condizentes com seus projetos de vida.

Tem experiência com autoconhecimento? Já trabalhou essa competência em sua vida? Compartilhe conosco nos comentários!

Marcos Wunderlich

2018-11-07T16:27:08+00:00

Sobre o Autor:

Marcos Wunderlich é referência nacional em Mentoring e Coaching Humanizado e possui 33 anos de experiência com mais de cinco mil alunos formados. Foi um dos primeiros especialistas a introduzir a Formação em Mentoring e Coaching no Brasil.

Um Comentário

  1. Maria Clarice R Polanczik 27 de setembro de 2018 em 08:50 - Responder

    Bom dia!

    Quero agradecer,por estes esclarecimentos.
    Com certeza é o que todo ser humano necessita.
    Abraço
    Att

Deixar Um Comentário