8 Atitudes do Líder que Acabam com a Motivação das Pessoas

Como é bom estar motivado! Você provavelmente já viveu momentos em que a lhe faltou motivação para realizar alguma coisa e sentiu como custa, então, reerguer o ânimo. Que atitudes precisa ter um líder para promover a motivação e o ânimo em sua equipe? Que atitudes de um líder podem acabar com a motivação das pessoas?

Este é o tema do presente artigo. Vamos falar de algumas atitudes que um líder não pode se permitir.

Afinal, o que é motivação?

Motivação = motivo da ação ou motor da ação.

Motivação é o que move as pessoas. É o que faz com que os indivíduos dêem o melhor de si. É um ingrediente essencial para promover o desenvolvimento do ser humano. Com motivação é mais fácil trabalhar, cuidar de alguém, cumprir uma tarefa, fazer exercícios físicos, estudar, por exemplo.

Motivação pode ser uma força que vem do interior da pessoa, também chamada de auto-motivação, que é a motivação intrínseca. Mas há também a motivação que vem de fora, do ambiente, das pessoas com as quais convivemos, de metas que nos propomos alcançar, esta é a motivação extrínseca.

Sabemos que a motivação traz maior qualidade aos trabalhos realizados na organização e a falta dela pode acarretar problemas na rotina da organização.

Quais atitudes do líder acabam com a motivação das pessoas?

Sabemos que ninguém está o tempo todo motivado. A vida é cíclica. Os anos, os dias são cíclicos. Há dias em que estamos mais motivados e dias em que estamos menos motivados. Mas, quando temos um líder que toma atitudes que acabam com a motivação das pessoas, e o sentimento de desmotivação vira rotina, é importante mudar. Aliás, este não pode ser chamado de líder. É no máximo um chefe, com problemas relacionais. Significa que precisa passar por um processo de reorganização em seu campo pessoal e relacional.

Vejamos algumas atitudes de um líder que podem acabar com a motivação das pessoas e de sua equipe:

Falta de Reconhecimento.

Grande parte da motivação das pessoas vem do reconhecimento. Reconhecer e valorizar seus colaboradores é muito importante. Acontece que, de fato, a valorização do colaborador é uma peça-chave para a estruturação dos negócios e, muitas vezes por não fazerem isso, os gestores acabam destruindo a motivação dessas pessoas sem nem ao menos perceber. Ser reconhecido é sentir-se aceito e partícipe do grupo. Não ser reconhecido é sentir-se fora, excluído.

Focar apenas nos pontos fracos.

Imagina você ter um líder que aponta somente seus erros, sem estar atento aos acertos de seus colaboradores. Saber dar feedback é muito importante. O feedbacker sabe olhar os acertos e sabe falar sobre o que a pessoa precisa superar. O verdadeiro líder sabe estar ao lado de seu liderado para festejar seus acertos e saber conversar com ele sobre seus erros. Sim, é importante saber onde estamos errando, mas talvez mais importante é saber onde estão nossos acertos. Reconhecer os pontos fortes para fortalecê-los e os pontos que é preciso superar é o papel do verdadeiro líder.

Falta de clareza nos objetivos.

Para que haja uma motivação eficiente no trabalho, é preciso ter objetivos bem claros. As pessoas perdem muito tempo no trabalho ou no evento por não saberem o que é prioridade e onde deveriam concentrar um foco maior. Esse tipo de situação contribui para que os colaboradores não consigam sentir-se motivados para tarefas específicas, pois simplesmente não sabem para onde voltar sua atenção maior. Por essa razão é extremamente necessário estabelecer objetivos claros e também possíveis e viáveis.

Indefinição de funções.

As funções precisam estar bem definidas, com os papéis claros. Empresas com papéis profissionais pouco claros e confusos desmotivam seus colaboradores. Isso pode gerar frustração de expectativas e desempenho aquém do esperado. Em vez disso, quando as funções são bem definidas, fica mais fácil o colaborador trabalhar no sentido de exceder suas expectativas, almejar novos patamares salariais e progredir em seu desempenho.

Metas de desempenho difíceis de ser atingidas.

É importante ter metas de desempenho. As metas são outra forma de incentivo. Elas podem ser recompensadas por meio de prêmios, bônus, ou até mesmo progressão na carreira. Vale a pena estabelecer metas ambiciosas, mas suficientes para manter um aumento constante de produtividade, e que sejam atingíveis. Caso contrário, metas irreais podem ser motivo de frustração e provocar ainda mais desânimo e descrédito em relação ao trabalho.

Não saber trabalhar em equipe.

É muito importante saber agir em equipe. O líder precisa ter uma interação constante com sua equipe de trabalho. O trabalho em equipe é essencial no contexto empresarial. Quase todos os projetos apresentam melhores resultados quando são desenvolvidos por uma equipe e não apenas por um indivíduo. Pessoas diferentes pensam de formas diferentes, o que é essencial para estabelecer diferentes soluções para problemas. O líder precisa saber dinâmicas de grupo e princípios de sinergia para potencializar o trabalho em equipe.

Não saber ouvir.

O líder precisa ter canais abertos e transparentes de comunicação. Principalmente saber ouvir para contornar eventuais problemas que estejam atrapalhando o dia a dia da empresa. Na condição de líder, você precisa ouvir todos os seus funcionários para saber como vai sua equipe, precisa saber quais são as dificuldades e de que modo a equipe está produzindo. Assim poderá ter uma visão clara e maior facilidade na hora de resolver problemas. É importante também abrir os ouvidos para ouvir reclamações dos funcionários. Saber como anda o humor de sua equipe também é muito importante. Ouvir é muito mais difícil do que falar. Quem fala, fala o que é do seu conhecimento e interesse. Mas quem ouve, está arriscando escutar coisas que não interessam, seja por falta de percepção, teimosia ou desconhecimento. Ter os canais abertos de comunicação é requisito para ser líder.

Não saber lidar com pessoas.

O que mais desmotiva as pessoas é não serem tratadas com dignidade. O líder precisa saber lidar com as pessoas, precisa ter alta performance. Ter alta performance é ter gestão e ter liderança ao mesmo tempo. É respeitar a forma de ser de cada um de sua equipe para poder dinamizar suas potencialidades. É saber traçar metas e ir buscar resultados, sabendo o que motiva as pessoas, ter visão dinâmica, saber se relacionar. E é saber integrar cada membro de sua equipe na dinâmica do todo, na consecução dos objetivos da equipe, inseridos nos objetivos da corporação.

Conclusão

A motivação é o que mantém as pessoas engajadas. É por ela que elas sentem que fazem parte da organização e então agem com muito mais interesse e alegria. E é por ela que se consegue manter um clima de convivência agradável e produtivo.

A primeira coisa que um líder precisa promover é um clima relacional de confiança com seus liderados e entre os mesmos, onde o respeito mútuo e a alegria seja o ar que todos respiram.

E neste clima de confiança o líder faz com que os membros de sua equipe conheçam as normas organizacionais e saibam o porquê delas. Isto garante uma disciplina assumida em função de um direcionamento eficaz das ações do grupo, integrado no contexto maior da organização.

Pessoas motivadas, alegres e felizes produzem mais, o que aumenta a qualidade do clima organizacional e um ambiente de bem estar. E atitude do líder pode ao mesmo tempo motivar ou então acabar com a motivação das pessoas. E isso determina o maior ou menor rendimento do grupo.

Quando o líder adota uma postura rígida e distante de sua equipe, os colaboradores tendem a ser pouco unidos. O trabalho perde convergência. Dispersa-se muita energia.

Não há dúvida, pois, de como a liderança interfere na motivação e como esta é determinante para se ter um clima produtivo em qualquer área de convivência humana, seja na família, na escola, no clube, na empresa, no serviço público e na comunidade local e nacional.