11 Verdades (e Mitos!) sobre Autoestima e Automotivação

Como vai sua autoestima? E você sabe se automotivar? Será que a automotivação depende de você ter autoestima, ou sua autoestima depende de sua automotivação? Conheça os mitos e as verdades sobre a autoestima e automotivação.

O que é Autoestima?

Auto significa referir-se a si próprio. Estima é o sentimento do bem querer, do respeito, da admiração, da alegria em sentir, em valorizar com dignidade, com afeto e compaixão.

Autoestima é a percepção emocional que você tem de si mesmo. É o primeiro passo para você acreditar em você mesmo. Se nós não acreditamos em nós, os outros também não irão acreditar em nós.

Tem autoestima a pessoa dotada de confiança e que valoriza a si mesmo. É a pessoa satisfeita consigo mesma, que está satisfeita com sua identidade, com seu jeito de ser.

Entre os principais sinônimos de autoestima destaca-se: amor-próprio, orgulho, brio, honra, altivez e dignidade. Não se trata de nos acharmos mais ou maior ou melhor que os outros, mas nos sentirmos dignos de compartilhar com os outros o direito de sermos do jeito que nós somos e de respeitarmos nos outros o direito que serem o que são.

O que é Automotivação?

É o ato de se motivar a si mesmo. É encontrar dentro de si mesmo os motivos para viver, para realizar.

Se você tem automotivação, você mesmo se motiva por um estímulo interno pessoal, ou seja, a própria pessoa encontra motivação em si mesmo para realizar seus objetivos.

A motivação interna é muito mais resistente do que a externa, pois quando a motivação externa acaba, a pessoa busca em si própria a sua realização. Dessa forma, é menos provável que haja desistência. Por isso ela é tão importante. Considerando a resistência, uma pessoa que é motivada externamente é muito mais propícia a desistir do que uma automotivada, pois a motivação externa pode acabar, porém a interna não, o objetivo é abraçado, estudado e alcançado dentro dos limites.

Verdades e Mitos sobre a Autoestima e a Automotivação

1 – A autoestima tem efeito sobre nossos pensamentos, nossas emoções e nossas ações.

Verdade: Sim. A autoestima tem efeito sobre nossos pensamentos, nossas emoções e nossas ações. Acreditando em nós mesmos, teremos pensamentos, emoções e ações de bem querer, de respeito, com afeto e compaixão. Não acreditando em nós, nossa mente fica fora de foco. Se nós acreditamos em nós mesmos, esta crença atua sobre nossos sentimentos e direciona nossas ações, dando-nos melhores condições de autorrealização.

2 – A automotivação é importante, pois permite realizar as tarefas com primor, eficiência e qualidade.

Verdade: As atividades diárias podem se tornar mais agradáveis e suaves, tornando não só o trabalho, mas todas as atividades mais satisfatórias e fáceis de serem realizadas. As tarefas passam a ser vistas como desafios e sua realização as tornam prazerosas, menos presas a obrigação. A automotivação permite atividades com mais foco e, portanto, que melhor eficiência e qualidade.

3 – Cuidar de si quer dizer autoestima elevada.

Mito: Ter trabalho, ter dinheiro, comprar um carro novo, ir à academia, nada disso cria a autoestima. Pelo contrário, quem precisa destas coisas para achar que tem valor pode querer compensar algo que não sente internamente. Cuidar de si é importante para ter autoestima elevada, mas não quer dizer que tenho autoestima.

4 – Não adianta eu me organizar para conseguir me automotivar.

Mito: Ser organizado faz você aproveitar muito melhor seu tempo.Além disso, pessoas organizadas tendem a ser mais produtivas, pois conseguem administrar melhor seus prazos e planejar suas atividades de forma mais eficiente, sem distração e esquecimento. Parece óbvio, mas a organização é uma dificuldade para muitas pessoas, como perder data de entregar trabalhos, papéis e até documentos importantes, Isto parece até ser algo comum para muita gente. A organização também te ajuda a estar melhor preparado para emergências e imprevistos e evita que você se frustre e acabe ficando desmotivado.

5 – Posso mudar minha autoestima atual.

Verdade: É possível mudar a percepção que tenho de mim mesmo? Claro que posso mudar a maneira como me vejo e mudar meus comportamentos e atitudes. É só mudar a maneira como vejo o mundo e como me vejo no mundo. Pare um pouco e pense: existe vida em tudo à sua volta. Veja vida nas crianças, no cachorrinho, nas plantas, nas flores, no sol e nas estrelas, na água que flui e no vento que passa. Tudo está pulsando e em movimento. Conecte-se com o mundo a seu redor e sinta que você faz parte dele. Sinta seu corpo todo aqui e agora em movimento constante, o sangue que percorre as veias, a respiração, a digestão acontecendo, todos os seus sentidos que o põe em contato com o mundo neste momento. O milagre da vida acontecendo em você e no mundo!

6 – A automotivação pode mudar seu mindset.

Verdade. Quando estou automotivado, posso mudar meu mindset (forma de ver a vida e o mundo) e conseguir objetivos inimagináveis. Se, ao iniciar uma tarefa desmotivado, “eu não consigo”, sua mente começa aquela atividade já sabendo que “não vai dar certo”. Imagine iniciar uma tarefa com automotivação: sua mente já inicia a atividade sabendo e pensando que “vai dar tudo certo”, o que é muito bom. Portanto, veja como sua automotivação interfere e muda seu mindset. A mente é quem controla tudo. Ver as coisas pelo lado bom torna a vida mais leve.

7 – A recompensa não ajuda a automotivação.

Mito: Para manter a automotivação a recompensa é muito importante, principalmente quando você mesmo se recompensa. Podem ser pequenas recompensas do dia a dia, pequenos presentes que você dá para você mesmo. Por exemplo: se eu for para a academia todos os dias, eu me recompenso no final de semana com um pedaço de bolo. Este é um ótimo combustível que vai alimentando sua automotivação.

8 – A autoestima traz felicidade.

Verdade: A autoestima faz com que as pessoas se sintam bem, se tornem mais eficazes e produtivas e respondam bem aos outros e a eles mesmos.E assim podem crescer e mudar. As pessoas sentem-se amadas, seguras, e conseguem se perdoar e perdoar os outros. Sentem-se também no direito de participar da vida como ela é, com alegria e exalando felicidade. E isso contribui para o desenvolvimento da sua inteligência emocional.

9 – O autoconhecimento eleva a autoestima.

Verdade: Autoestima está totalmente relacionada com autoconhecimento. Quanto mais você se conhece mais conseguirá elevar a sua autoestima. O autoconhecimento permite entender e identificar o que acontece que lhe faz sentir-se menos valorizado. Ou seja, quais fatos ocorreram ou ocorrem em sua vida que geram sentimentos de impotência, tristeza, ansiedade e influenciam em sua autoestima. A partir do autoconhecimento vamos buscar alternativas de agir naquela situação, para não ser tomado por emoções negativas. Um exemplo seria a pessoa descobrir seus “pontos fracos” e saber que ela poderá ser criticada ou menosprezada por eles, podendo assim agir sobre eles através de cursos, ou aprendendo com outros ou exercitando mais aquela habilidade. Identificar suas qualidades, não apenas os defeitos, facilita o engajamento em tarefas onde suas características positivas possam ser realçadas. O autoconhecimento enquanto busca o reconhecimento das qualidades e competências.

10 – Valorizar a si mesmo ajuda a automotivação.

Verdade: Sem dúvida que, à medida que me valorizo, minha automotivação cresce, passo a me empenhar mais em atividades que me tragam mais alegria, me façam sentir a vida em mim mesmo, seja cuidando da forma física (o que melhora a autoimagem), dançando, lendo um bom livro, permitindo-se ser cuidado, ser amado e sentir-se especial. Os benefícios para si tanto na vida pessoal, nos relacionamentos afetivos, familiares, quanto na vida profissional são grandes. Lembre-se: quem deve ser a pessoa mais especial e importante no mundo é você!

11 – A aceitação de seus pensamentos, sentimentos e valores pessoais ajudam a autoestima e a automotivação.

Verdade: Toda mudança interior efetiva passa pelo processo de aceitação e autotransformação. Aceitar é admitir os nossos pontos fracos, mesmo que isso abale o nosso ego, e se dispor a mudar; é reconhecer e respeitar que cada pessoa tem a sua forma própria de ser, mesmo quando contraria nossos pontos de vista; que cada situação se apresenta de acordo com a necessidade do momento, mesmo quando frustra nossas expectativas. Aceitar não pode ser confundido com passividade, com paralisia, com falta de interesse ou com falta de ação; pois quando eu aceito as coisas como elas são, eu resgato minha força e poder de transformar. Aceitar não é aprovar o ocorrido. Mas aceitar significa estar aberto às mudanças, a rever referenciais e formas de perceber e agir. Quando isso ocorre, saímos do papel de vítimas das circunstâncias para podermos realizar com disposição as mudanças que precisam acontecer. A aceitação faz com que tenhamos auto-estima elevada e automotivação. É estar harmonizado e em equilíbrio.

Conclusão:

Como vimos, a autoestima e a automotivação estão inseparavelmente relacionadas.Ter autoestima é quanto gostamos de nós, quanto respeitamos e confiamos em nós mesmos. A autocomotivaçao se torna, então, encontrar dentro de nós os motivos para realizar e fazer nossa vida feliz. Sem esquecer que o autoconhecimento é o que alicerça tudo isso.

A chave do sucesso,pois, é saber gostar de si mesmo, ir buscar sua motivação dentro de você, aceitar-se para realizar o que você se propõe.

A pergunta que se faz é: posso mudar? Claro que posso mudar a maneira como me vejo e mudar meus comportamentos e atitudes. É só mudar a maneira como vejo o mundo e como me vejo no mundo. Veja e sinta a vida pulsando em você e a seu redor.

Apoiado nesta nova visão você pode direcionar sua vida para onde você sempre sonhou a para onde quer ser e ir agora.

Aprenda a encontrar a motivação dentro de você. Em vez de dizer não posso, ou não consigo, diga eu posso, eu consigo. Tenha a mente aberta para aprender coisas novas com as experiências que dão certo, mas também com as que não dão certo. Pense em quantas coisas você já conseguiu. Concentre-se nas coisas que deram certo. Tenha uma atitude positiva frente à vida. Aceite a vida como ela é e goste de você.

Olhe para você mesmo e veja sua essência. Veja sua história de vida e sinta-se único, autorize-se a se auto estimar, encontre a motivação em você mesmo. E compartilhe esta alegria de viver com as pessoas e o mundo à sua volta.